Após cobrança do TCU, governo estuda mudança em critérios da reforma agrária

Por Painel

Fechando a porteira O governo Temer estuda uma mudança na legislação da reforma agrária. O Planalto foi cobrado pelo Tribunal de Contas da União a sanar contradições entre a lei e o decreto que tratam do tema. A Casa Civil pediu ao Incra e à Secretaria de Agricultura Familiar que apresentem diretrizes até o fim desta semana e, a partir disso, pode propor alterações que deixem mais restritivos os critérios de seleção de novos beneficiários. O debate ainda acontece entre técnicos, e não há decisão política final.

Nem vem As seis maiores centrais sindicais publicam nesta terça (26) documento com ataques a pautas prioritárias do governo Temer, como as reformas da Previdência e da legislação trabalhista.

Caminho duro O texto inicial acusa um “desmonte nas políticas de inclusão” e chama uma “luta para combater ameaças”. “O governo tem proposto medidas que aprofundam cada vez mais o drama dos trabalhadores”, escrevem Força Sindical, CUT, CTB, UGT, NCST e CSB.

Discurso afinado Michel Temer deu aval para as declarações de Henrique Meirelles (Fazenda) sobre o inevitável aumento de impostos caso o Congresso não aprove o teto de gastos. O interino se irritou com rumores de que a PEC ficaria só para 2017 e exige aprovação ainda este ano.

Dessa vez passa Líderes de partidos da base aliada, por sua vez, disseram ter visto a fala de Meirelles como um “emparedamento” do Legislativo — mas nada que possa abalar imediatamente a relação com o Planalto.

Leia mais notas aqui.