Governo estuda desacelerar tramitação no Congresso de medidas de anticorrupção

Por Painel

Teoria e prática Apesar das juras de amor à Lava Jato, o Planalto estuda retirar a urgência de parte das medidas anticorrupção propostas pelo Ministério Público. Motivo: elas trancarão a pauta da Câmara a partir desta terça-feira e, segundo ministros, ainda não estariam maduras para apreciação. O status de urgência garante a prioridade na votação, travando, assim, tramitações importantes para o governo, como a da lei que definirá novas regras para nomeação em fundos de pensão.

Poupa tempo Michel Temer quer votar logo o projeto que dá mais transparência à governança das agências reguladoras — um dos itens da Agenda Brasil. O pedido foi feito ao autor da medida, senador Eunício Oliveira.

Leão da montanha O termo “renúncia” deixou de ser visto como palavrão por Eduardo Cunha. Se desistir do cargo, Waldir Maranhão — hoje rival — também cai, abrindo-se caminho para eleger um novo presidente.

Plano B Se o pedido de cassação chegar, de fato, ao plenário, o melhor para Cunha será ter alguém de sua confiança comandando a sessão.

apode2806painell

Maledicentes De um ministro, sobre o encontro de Temer e Cunha no fim de semana: “Decidimos que seria no Palácio do Jaburu, e não numa base aérea da vida, para a imprensa não dizer que estavam se escondendo”.

Reincidente Não foi a primeira vez que a dupla se viu depois que o deputado foi afastado. Há três semanas, Cunha passou no Jaburu num domingo, após culto na Igreja Casa da Bênção.

Cuma!? Na acareação entre Delúbio Soares e José Carlos Bumlai, o petista se referiu ao pecuarista diversas vezes como “doutor Brumlai”. O ex-tesoureiro admitiu que pode ter falado com o empresário num “coffe breite” qualquer.

Que fartura O PSDB recebeu 2.000 documentos da Justiça Eleitoral para as ações contra a chapa Dilma-Temer. Há dados fiscais e bancários de gráficas investigadas.

Agora vai? Empresários esperam que as audiências públicas sobre os contratos de ferrovias saiam enfim em julho. As negociações para a renovação antecipada dos contratos já duram dois anos.

Deixa quieto Em conversa na noite de segunda, Eliseu Padilha (Casa Civil) disse a Marcos Pereira que ele permanecerá no comando do Ministério da Indústria.

Planilha A contabilidade do Planalto indica 60 votos pelo impeachment. Indecisos andam conseguindo emplacar cargos do governo e começam a “formar convicção”. A perícia do Senado, favorável à petista, parece não ter afetado o placar.

Todos os gostos Temer quis, neste domingo, testar o resultado com um aliado e ouviu do mesmo que, em um cenário pessimista, o presidente interino não teria menos do que 58 votos no plenário.

Vai ter recurso De um auxiliar da presidente afastada sobre os resultados da perícia: “Não há mais que se falar em pedaladas fiscais. As oportunidades no campo jurídico agora são inúmeras”.

Olha eles! Aliados de Dilma ficaram injuriados com a notícia de que Adalberto Vasconcelos foi cedido pelo TCU para o Programa de Parceria em Investimentos de Temer. Dizem que o governo da petista pediu mais de uma vez para tê-lo no Planalto e… nada.

É meu A bancada do PT na Assembleia Legislativa de SP estuda entrar na Justiça para aumentar seu espaço na CPI da Merenda. Hoje, possui só um dos nove assentos. A sigla diz que tem direito a mais.

Pior que tá Enquanto o STF não define sua situação, Celso Russomanno (PRB) toca a candidatura à Prefeitura de SP. O deputado definiu Duda Lima como seu marqueteiro. Ele foi o responsável pelas campanhas de Tiririca.


TIROTEIO

Cobrava Levy para liberar depósitos compulsórios para capital de giro da pequena empresa. Escutava um silêncio ensurdecedor.

DE GUILHERME AFIF, presidente do Sebrae, reclamando que, no governo Dilma Rousseff, Joaquim Levy (ex-ministro da Fazenda) não destravava o crédito.


CONTRAPONTO

O mundo é uma quitinete

Marcos Pereira (Indústria) conversava à porta do restaurante A Bela Sinta, em SP, quando um casal chegou.
— Sérgio, esse aqui é o nosso ministro — apressou-se a dizer o dono do restaurante, explicando que se tratava de um proprietário de concessionárias da Citröen.
O ministro disse que havia boas novas: a pasta fechara o novo acordo automotivo com a Argentina. E citou a recente renovação do regime fiscal Inovar Auto.
— A JAC (montadora chinesa) acabou sendo cortada. Não teve jeito — lamentou, crente que estava agradando.
— Eu sei… Sou também presidente da JAC Brasil — respondeu o empresário.