Temer é pressionado a propor novo Refis em troca de reforma da Previdência menos amarga

Por Painel

Empurrãozinho Michel Temer recebe pressão de parlamentares para propor um Refis (programa de refinanciamento de dívidas) específico para débitos previdenciários. Deputados propõem o lançamento do programa em troca de uma reforma da Previdência menos amarga. A Receita é historicamente contra a medida por considerar que ela estimula a cultura da inadimplência. O Refis já foi usado diversas vezes nos últimos anos. Em 2014, o governo Dilma arrecadou R$ 20 bilhões com o programa.

Mina de ouro? Cálculos iniciais indicam que hoje há cerca de R$ 370 bilhões em dívidas previdenciárias com a União. No total, o estoque de débitos federais chega a quase R$ 2 trilhões.

Termômetro Para a Fazenda, a votação da DRU (Desvinculação das Receitas da União) é a “antessala” da proposta de limitar o gasto público. Será um teste sobre a capacidade do governo de aprovar teto para as despesas.

Roda mundo Já há no PMDB do Senado quem veja um risco de ingovernabilidade se desenhando a partir dos pedidos de prisão feitos por Rodrigo Janot, o que pode dar força à proposta de novas eleições diretas.

É tetra! Os quatro alvos de Janot nesta terça (7) têm presidências no currículo: Eduardo Cunha, a da Câmara; Renan Calheiros, a do Senado; José Sarney, a da República; e Romero Jucá, a do PMDB.

Chico e Francisco Peemedebistas apostam que Teori Zavascki seguirá com Renan o roteiro de Cunha: abrir prazo de 15 dias para sua defesa antes de decidir sobre o eventual afastamento.

pefrio

Maré de azar De manhã, enquanto absorvia a notícia do pedido de prisão, Renan Calheiros ficou sem luz em sua residência oficial. Quase não conseguiu despachar a nota de resposta a Janot.

Nem vem Os que questionavam integrantes do Ministério Público sobre uma precipitação com os pedidos de prisão ouviam como resposta: “Eles não são intocáveis”.

Nada auspicioso Sondagem do instituto Ideia Inteligência sobre o início do governo Temer indica desânimo dos brasileiros: 60% acham que a economia não piorará, mas também não irá melhorar nos próximos seis meses.

Não embalou Para 55% dos entrevistados, tanto Dilma quanto Temer são responsáveis pela atual situação da economia. O levantamento, feito com 10.003 pessoas, será apresentado no Brazil Institute do centro de pesquisas Wilson Center, nos EUA.

Pra ontem Empresários que apoiaram o impeachment irão ao Planalto nesta quarta renovar o apoio a Temer — e também cobrar a fatura. Pressionarão pelo anúncio de medidas concretas de estímulo à economia.

Ação “Toda semana há ministro denunciado e tudo para. Esse momento de otimismo não pode ser desperdiçado”, diz Edson Campagnolo, presidente da Federação das Indústrias do Paraná.

Congelado A Justiça determinou nesta terça (7) o bloqueio das contas do PSDB no Estado e na cidade de São Paulo. O marqueteiro Luiz Gonzalez, que atuou para o partido, cobra R$ 17 milhões da sigla. O PSDB diz que irá recorrer.

Pindaíba Sem dinheiro, o diretório estadual já havia sido obrigado a demitir funcionários meses atrás. A sigla diz que o bloqueio não afetará as campanhas municipais em SP.

Presente O criminalista Pierpaolo Bottini, que tem vários clientes na Lava Jato, abrirá nesta quarta o curso sobre lavagem de dinheiro do Instituto de Direito Público de São Paulo, cuja coordenação é de Gilmar Mendes (STF).

Estou voltando Depois de um tempo distante, Jaques Wagner, ex-chefe da Casa Civil de Dilma, visitou nesta terça o Palácio da Alvorada.


TIROTEIO

A divulgação da taxa de juros é a chance do novo governo mostrar de qual lado está: do setor produtivo ou da especulação.

DO DEPUTADO PAULINHO DA FORÇA (SD-SP), presidente da Força Sindical, sobre a definição da taxa básica de juros pelo Banco Central nesta quarta (8).


CONTRAPONTO

Não queria mesmo

Autoridades fluminenses se reuniram nesta terça (8) em São João da Barra para a inauguração de três novos terminais no Porto do Açu, projeto idealizado por Eike Batista e que hoje pertence à empresa Prumo Logística.
O governador em exercício do Rio, Francisco Dornelles (PP), não pôde comparecer. Diante da ausência, o deputado federal Júlio Lopes, do mesmo partido, foi convidado a discursar. Na plateia, contudo, estava um membro do governo local, o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Marco Capute.
Questionado se fora preterido, Capute desconversou:
— Minha ida ao evento não estava prevista!