Partidos articulam “sumiço definitivo” de Maranhão da presidência da Câmara

Por Painel

Chá de sumiço Não foi só na sessão de quarta-feira (18) que Waldir Maranhão se transformou em desaparecido político. Integrantes do centrão agora tentam encontrar uma forma de fazê-lo “sumir” por tempo indeterminado. A hipótese mais forte é a de que solicite licença médica por até 120 dias. A oferta para assumir uma secretaria no Maranhão foi descartada por Flávio Dino, que governa o Estado. Os mais próximos do deputado dizem, porém, que o interino segue resistente às investidas.

Mistério Cobrado pelo mercado financeiro por não ter anunciado nada de concreto até agora, Henrique Meirelles (Fazenda) prepara um pacote de medidas para divulgar na semana que vem.

Entrelinhas O PSDB definiu como vai tratar a administração Temer. Em manifestações públicas, o partido se colocará como “colaborador”, jamais como governo.

Em cima do muro Até porque o PMDB também não tem interesse em incensar a tropa tucana. Um dirigente define o tom da relação: “muito temor e pouco amor”.

Made in Brazil Michel Temer aceitou a indicação de Sérgio Amaral como embaixador do Brasil nos EUA. A escolha, feita pelo chanceler José Serra, sacramenta a guinada na política externa.

Meu nome é tchau Ivan Monteiro, diretor financeiro da Petrobras, foi sondado para seguir no cargo, mas avisou que deixará a empresa.

Da onça Amigo de Dilma Rousseff há décadas, o governador Fernando Pimentel (MG) está dando um perdido na petista. Disse a assessores não querer ir de jeito nenhum a um evento com ela e blogueiros nesta sexta, em BH.

Vira-casaca Auxiliares encorajam Pimentel a procurar o presidente interino da República para tratar de projetos de interesse do Estado.
APODE2005PAINEL
‌Possante Não foi só a bicicleta que Dilma ofereceu a José Eduardo Cardozo. Seu Fiat Tipo 1996 também foi colocado à disposição do amigo.

Tô limpo, pô A Justiça paulista acatou pedido de Michel Temer e excluiu o presidente da ação que cobrava IPTU atrasado de um imóvel, que, segundo sua defesa, havia sido vendido em 2002.

Arrumação Secretário Nacional de Cultura de Temer, Marcelo Calero passará o fim de semana em conversa com artistas para desanuviar o clima. O governo também decidiu não mais extinguir a Diretoria de Direito Intelectual da pasta.

Plantão Como trabalha na biblioteca do presídio, o ex-ministro José Dirceu soube da notícia dos 23 anos de detenção pelos telejornais que repercutiram o caso dia todo.

Sufoco Gilberto Kassab ainda não encontrou uma mulher para a Secretaria de Ciência e Tecnologia. Quer que ela tenha prestígio na comunidade científica, contrária à junção do então ministério com o das Comunicações.

Alvos Emilia Ribeiro, ex-ministra interina da pasta, foi a primeira a ser convidada. Agora, o alvo é Helena Nader, presidente da SBPC (Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência) e uma das signatárias de um manifesto contra a fusão.

Nem morta Helena Nader afirma que negará até se o próprio presidente Michel Temer convidá-la. “Nada contra Kassab ou o presidente. Só vejo retrocesso”, disse.

Visitas à Folha Marcelo Lyra Porto, presidente da IBM Brasil, visitou ontem a Folha, onde foi recebido em almoço. Estava acompanhado de Fabio Scopeta Rodrigues, diretor da Unidade Watson, Fabiana Galetol, gerente de Comunicação e Marketing, e Isabel Campos, assessora de imprensa.

Neca Setúbal, presidente do Conselho da Fundação Tide Setúbal, visitou ontem a Folha.


TIROTEIO

Nunca antes na história desse desse país tantos políticos foram condenados como na era do lulopetismo. 

DE MARCONI PERILLO (PSDB), governador de Goiás, sobre a condenação de José Dirceu a 23 anos de prisão por corrupção, lavagem e formação de quadrilha.


CONTRAPONTO

Efeito orloff Randolfe Rodrigues (Rede-AP) esperou que se esgotassem as discussões na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, nesta quarta-feira (18), e aproveitou o plenário já quase vazio para aprovar a ida de dois ministros à Casa. Queria explicações sobre temas polêmicos da gestão Temer.
Assim que soube da votação surpresa, o senador Ronaldo Caiado (DEM-GO) voltou à comissão esbaforido:
— Randolfe, o que aconteceu? — indagou o congressista, integrante da tropa de choque de Temer.
— Eu bem que te avisei, Caiado. Eu seria você no governo Temer — respondeu, orgulhoso, o adversário.