Pedido de Haddad freou saída de Maluf de lista de procurados da Interpol

Por Painel

Rasgou a foto Paulo Maluf estava a um passo de sair da lista de procurados da Interpol, mas um “não” da Prefeitura de SP atrapalhou a “absolvição” do deputado. Comunicações oficiais feitas no processo que corre na Promotoria de Nova York mostram que advogados da família Maluf tentaram, sem sucesso, convencer o município a receber depois uma dívida de US$ 22 milhões relativa a desvios de quando o político administrava a cidade. O acordo abriria espaço para suspender o alerta vermelho.

Ajuda, vai Em um dos trechos do processo, obtido pela coluna, um advogado ligado à família Maluf pede para a prefeitura “persuadir” as autoridades americanas. Procurado, Haddad não quis comentar “assunto sigiloso”; Maluf disse não estar “a par”.

Bota na conta Segundo integrantes do caso, o município espera receber este ano outros US$ 25 milhões.

Sem dar na vista Há cerca de um mês, portanto antes de a Câmara votar o impeachment, Dilma Rousseff começou a levar caixas para Porto Alegre.

Apertado A presidente terá dificuldades de acomodar os pertences adquiridos nos últimos anos no compacto apartamento de dois quartos que possui na capital gaúcha.

Reta final A delação de Delcídio do Amaral renderá um inquérito contra Lula. A Procuradoria-Geral da República estuda abrir a investigação aditando a denúncia existente contra o senador.

Liberou A regra de conteúdo local nos contratos da Petrobras — xodó de Dilma — está por um triz. O time de Michel Temer quer o fim da política. A mudança atingiria a já combalida Sete Brasil, empresa do pré-sal que só existe por causa da norma.

apode3004painell

Mascarado Indagado se deixaria o comando da Câmara caso Temer pedisse, Eduardo Cunha nem piscou: “Mais fácil o sargento Garcia prender o Zorro”, disse. Em tempo: o vice pode até querer se livrar do aliado, mas precisa de sua tropa para governar.

Pires na mão A penúria dos Estados não será resolvida apenas desvincunlando receitas hoje obrigatórias. A avaliação é do grupo de Temer, que prepara um pacote emergencial para socorrer unidades da federação em dificuldade.

Rombo Uma das opções em estudo é securitizar dívidas dos Estados. A outra, menos realista, é a reforma do ICMS.

O que tem aí? A cúpula da Caixa anda preocupada com a profusão de indícios de irregularidade em financiamentos do Minha Casa, Minha Vida, aos moldes do revelado pela operação Cabala, deflagrada pela Polícia Federal na quinta-feira (28).

Ninguém sabe Parte do processo de liberação dos recursos do programa federal fica a cargo das milhares de agências da Caixa, com fiscalização insuficiente. “É uma caixa-preta”, lamenta um executivo do banco.

Acabou a festa Michel Temer avisou aos falastrões de sua equipe: além dele e do ministro da Fazenda, auxiliares só se posicionarão publicamente sobre política econômica quando autorizados.

Quero ver vazar! Em reunião no Jaburu, um aliado perguntou ao vice sobre quem seria o ministro da Justiça: “Não diria nem para minha mãe se ela aqui estivesse.”

Entrei na pilha O subchefe de assuntos jurídicos da Casa Civil, Jorge Messias, citado por Dilma no áudio com Lula, rendeu-se à brincadeira. Numa conversa recente, despediu-se dizendo: “Beijo do Bessias!”.

Apressadinhos Do senador Reguffe (sem partido-DF): “Meu voto é pela abertura do impeachment. Mas é lamentável que Michel Temer já esteja oferecendo até direção dos bancos públicos aos partidos”.


TIROTEIO

Deviam ter feito o reajuste do Bolsa Família bem antes. Só lamento que a iniciativa não seja por compromisso social.

DE MOREIRA FRANCO (PMDB-RJ), homem forte de um futuro governo Temer, sobre o projeto do Planalto de reajustar o valor do benefício.


CONTRAPONTO

Falta de timing

Na ausência dos membros da Mesa, Magno Malta (PR-ES) presidia a sessão do Senado na última quarta-feira (27) enquanto seus colegas se revezavam na tribuna com discursos de defesa e de ataque ao governo.
Ao anunciar que o próximo a falar seria Paulo Bauer (PSDB-SC), Malta decidiu fazer graça:
— Vejam bem, é Paulo Bauer, e não Paulo Baier.
Como o silêncio continuou no plenário, o senador decidiu explicar a piada.
— Grande camisa 10 do Atlético Paranaense e do Palmeiras. Joga muito!
Ninguém riu.