Com rompimento do PMDB, Planalto quer separar ‘joio do trigo’ no partido

Por Painel

Quem é quem Depois de esgotar todas as tentativas de adiar o rompimento do PMDB, decisão que deve se confirmar nesta terça-feira, o Planalto prepara uma ofensiva para separar o “joio do trigo” no partido e ter certeza de quem são os que estão ao seu lado. Confiante de que ainda pode contar com parte da legenda na batalha contra o impeachment de Dilma Rousseff, o governo quer personalizar as críticas nos nomes que já são considerados “perdidos”, mas evitar ataques ao partido de maneira geral.

Esfinge Mesmo após a cisão, Renan Calheiros deve se manter no figurino de presidente do Senado — sem vestir o de dirigente peemedebista.

Inimigo íntimo Petistas lamentam uma ironia: muitos ajudaram Eliseu Padilha a desenhar o mapa de cargos do governo quando ele assumiu a articulação política. Agora, o trabalho é munição contra a própria presidente.

De volta Padilha diz que, ao romper, o PMDB recupera seu protagonismo. “O partido acerta ao seguir suas bases como fazia ao tempo do MDB.”

Dá igual O governo não fez nesta segunda a reunião com ministros de toda a base. Com o corpo mole que alguns vinham fazendo, diz um petista, não fará diferença.

Dentro e fora Além das tarefas de articulação, Lula inicia no fim de semana suas viagens pelo país. Tem agenda em Fortaleza no sábado e em Salvador no domingo.

Respiro Se as negociações para as delações na Odebrecht seguirem os prazos de outras semelhantes, como a da Andrade Gutierrez, as revelações da empreiteira só viriam à tona dentro de alguns meses, depois, portanto, de o processo de impeachment já ter passado pela Câmara.

Muita calma A Corregedoria do CNJ recusou pedido de senadores petistas para investigar Sergio Moro, mas nem sequer chegou a analisar o mérito. Eles se esqueceram de anexar cópia das identidades na peça. Agora, têm 15 dias para corrigir.

apode2903painell

Simples Peemedebistas viram um jeito de Dilma barrar o impeachment: “É só editar medida provisória aumentando os ministérios para 172”, brinca um deles, sobre o número de votos necessários.

Microcosmo No PT, as tratativas do ex-tucano Andrea Matarazzo com o PSD estão sendo vistas como uma derivação do afastamento de Gilberto Kassab do Planalto.

Olha eles Advogados contrários ao pedido de impeachment da OAB diziam que, por coerência, a Ordem deveria pedir investigação de Michel Temer, também citado na delação de Delcídio do Amaral.

Visita à Folha Paula Bellizia, presidente da Microsoft Brasil, visitou ontem a Folha, onde foi recebida em almoço. Estava acompanhada de Katia Gianone, diretora de Comunicação e Responsabilidade Social, e de Adélia Chagas, vice-presidente da agência Máquina Cohn & Wolfe.


TIROTEIO

O PMDB não pode deixar a luta política paralisar o país neste momento tão duro. Que o embate se dê no Legislativo.

DO MINISTRO CELSO PANSERA, sobre a possibilidade de o PMDB exigir que seus filiados abandonem os cargos que exercem no governo.


CONTRAPONTO

Ao gosto do freguês

Ainda no início dos trabalhos do Conselho de Ética, o presidente do colegiado, José Carlos Araújo, disse a deputados do PSOL que acataria a anulação de uma das sessões para não dar margem a mais atrasos no processo sobre o presidente da Câmara, Eduardo Cunha.

— Sou baiano, e aprendi com mestre Bimba que, na capoeira, recuo também é golpe. Às vezes vale dar um passo atrás para dar dois à frente depois.

Ivan Valente (PSOL-SP) brincou:

— Mas isso é puro Lenin, presidente!

Entre as duas, Araújo ficou com a primeira versão. Disse preferir a sabedoria popular.