Câmara recebe dois pedidos de impeachment; um autor acusa Dilma de colocar chip em sua cabeça

Por Painel

Segunda temporada A Câmara recebeu dois novos pedidos de impeachment. Um deles, assinado pelo advogado Paulo Pegoraro Junior, usa a suposta delação premiada de Delcídio do Amaral (PT-MS) como base para o crime de responsabilidade. Já o outro pedido é bem mais pitoresco. Nele, o cidadão Alexandre Moraes quer tirar Dilma por ter implantado “um chip” em sua cabeça. O pedido do chip foi logo recusado por Eduardo Cunha. Já o da delação segue sobre a mesa do presidente da Casa.

Mayday Se, até a semana passada, era certo que a convenção do PMDB, em 12 de março, transcorreria sem maiores sustos, agora não há mais tanta certeza disso. A ala oposicionista do partido tentará colocar o desembarque do governo em votação.

Fiel da balança Dez Estados já se declararam favoráveis ao divórcio. Os peemedebistas de Minas Gerais ameaçam sair do time governista caso não ganhem um ministério. O Palácio Planalto está preocupado.

Fiel à tradição Ao menos uma moção a favor do rompimento está pronta, mas bem ao estilo PMDB. Diz a petição: o filiado poderá seguir nos cargos federais, mas não em nome do partido.

Ele, não Investigadores da Lava Jato são céticos quanto à delação de João Santana. Mas apostam na colaboração da mulher Mônica Moura. Dizem que aquele sorriso debochado que estampou ao chegar em Curitiba já não existe mais. “A crista baixou muito”, dizem na carceragem.

Quem vai? Mapa das redes sociais feito para o governo indicou disparada de adesões aos atos de 13 de março após a condução coercitiva de Lula. Às vésperas do protesto de março do ano passado, contudo, as confirmações eram duas vezes maiores.

lulaafogado

Até debaixo d’água Para o senador Aloysio Nunes (PSDB-SP), Dilma Rousseff cometeu um “haraquiri político” ao visitar Lula em sua casa no sábado (5). “Naufragarão juntos num abraço de afogados”, dispara.

À flor da pele Gilberto Carvalho recebeu ameaças após sua entrevista à Folha. Por telefone, um homem falou à secretária do ex-ministro que, se o petista não parasse de “intimidar”, iriam “atrás dele”. O diálogo foi gravado.

Apólice Foram tantos os conflitos na rua onde Lula mora que a administradora do prédio decidiu acionar a seguradora por precaução. Queriam um representante da empresa de plantão no edifício.

Que hora Na sexta (4), após a operação da PF, computadores foram retirados de uma das salas da Secretaria de Governo, comandada por Ricardo Berzoini. A pasta afirma que foi feita uma “readequação de layout” no espaço e que tudo voltou para lá.

On fire Dilma está pensando em dar um “pulinho” na Grécia, em 21 de abril, para a cerimônia que acenderá a tocha olímpica. Ela estará em Nova York de 19 a 22 do mesmo mês e cogita ir a Olímpia entre um evento e outro nos EUA.

Juntinhos O Planalto vai unificar todos os portais do governo federal sob o guarda-chuva do brasil.gov.br. Haverá um gasto inicial para a mudança, mas, no médio prazo, a União garante que haverá economia.

Vai por mim A Receita Federal vende para o governo que o reajuste salarial dos auditores fiscais ajudará a estancar a queda na arrecadação. Desde agosto de 2015, só 30% dos servidores estão trabalhando.

Triste alta Em 2015, foram feitas 749.024 ligações à Central de Atendimento à Mulher, do número 180 — um aumento de 54%. Quase 80 mil foram para denunciar casos de violência. Em 74% dos relatos, a violência foi descrita como diária ou semanal.


TIROTEIO

São tantos arbítrios que não seria estranho se Moro abrisse investigação para dizer que o filho de FHC sempre foi, na verdade, de Lula.

DE MARCO AURÉLIO CARVALHO, advogado do PT, em reação à condução coercitiva do ex-presidente Lula durante a 24ª fase da Operação Lava Jato.


 

CONTRAPONTO

Tensão pré Lava Jato

Um parlamentar retornava à capital nesta segunda-feira (7) ainda sob o impacto dos acontecimentos da última semana, quando Lula foi alvo da Operação Lava Jato.
O jatinho que o transportava pousava no aeroporto de Brasília enquanto o político repassava mentalmente os compromissos que teria à frente.
Seu olhar parou, contudo, no hangar da Polícia Federal. As aeronaves da corporação estavam sendo abastecidas por funcionários.
— Ih, vem coisa por aí! — ouviu.
Era o piloto do avião, que ainda tentava esconder o sorriso no canto da boca.