Governo e PT buscam líderes mundiais para divulgar manifesto em defesa de Lula

Por Painel

Lula lá Integrantes do governo e do PT querem divulgar em breve um manifesto de líderes mundiais em apoio a Lula. Além de mandatários do Cone Sul, políticos que presidiram seus países no mesmo período em que o petista governou o Brasil estão sendo contatados. O uruguaio Pepe Mujica e o francês Nicolas Sarkozy serão dois dos possíveis signatários procurados. A iniciativa já estava em curso, mas as articulações foram aceleradas após a última fase da operação Lava Jato, na sexta (4).

Contágio A ideia é orquestrar a reação “de fora para dentro”, com o intuito de induzir uma onda de apoios para além da militância petista, explica um dirigente.

Hasta la victoria Já no dia da operação, sindicalistas brasileiros se articularam com a Central Sindical Internacional e com a Confederação Sindical de Trabalhadores das Américas para um manifesto em defesa de Lula.

Na história deste país A sexta-feira foi o primeiro dia em que a rua do prédio em que Lula vive, em São Bernardo, foi fechada — o que não acontece nem em data de eleição. A vigília petista de mais de 12 horas assustou moradores.

Ritmo de festa A oposição fez apenas um reparo à tempestade envolvendo Lula e Dilma. “Pena que a manifestação é no próximo domingo, e não neste”, afirmou um líder na Câmara.

Scotland Yard Há um clima de desconfiança generalizado na Esplanada apontando José Eduardo Cardozo como o responsável pelo vazamento da delação do senador Delcídio do Amaral (PT-MS).

Veja só Até amigos apontam uma série de coincidências: ele pedia para deixar o cargo havia dois anos, mas só saiu às vésperas do vazamento e da operação contra Lula. Colegas sustentam que ele sabia da Aletheia de antemão.

apode0603painel

‌Maquiavel puro “Já seria um absurdo achar que eu seria desleal à presidente, mas achar que eu seria desleal a mim mesmo chega a ser patético”, defende-se o ministro.

Desafinou Enquanto a oposição quer acelerar o impeachment para ressuscitá-lo antes das manifestações de 13 de março, o grupo de Eduardo Cunha acha que o melhor é reabrir a tramitação após os protestos para dar empuxo maior ao rito.

Muita calma Cunha diz que é inédito na história da Câmara um pedido de impeachment já aceito, porém aditado. Por isso terá de analisar os meandros jurídicos do caso para não haver erro.

Duplicado Se, por algum motivo, o aditamento acabar não vingando, a saída seria mesmo protocolar mais um pedido de impeachment.

A galope Congressistas avaliam que o processo de deposição de Dilma avançou mais de dez casas com com os dois eventos da semana passada — a delação de Delcídio do Amaral (PT-MS) e a condução coercitiva de Lula.

BFF Impressionou peemedebistas o entrosamento exibido por Michel Temer e Renan Calheiros, adversários na disputa pelo controle do partido até o começo do ano, no evento da sigla em Alagoas durante a semana.

Um é pouco Há 98 pessoas com o nome de Sérgio Moro no Brasil. É o que mostra levantamento a partir de dados da Receita Federal.

Orelha quente Em conversa recente entre um banqueiro e um executivo de uma grande empresa, a orelha de Alexandre Tombini, presidente do Banco Central, pegou fogo. Ambos eram contra o patamar elevado dos juros do Banco Central.

#depressão Na avaliação de um grande empresário, no Brasil hoje há empresas falidas e “tecnicamente falidas”. As raras exceções seriam JBS, BRF e o setor de papel e celulose. Petrobras e Vale estariam no grupo das “tecnicamente falidas”.


TIROTEIO

Lula diz que os bens não são seus; Cunha renega os milhões na Suíça. Eles não estão mentindo: é tudo do povo brasileiro mesmo.

DE SÍLVIO TORRES, secretário-geral do PSDB, sobre as acusações do Ministério Público contra o ex-presidente da República e o presidente da Câmara.


CONTRAPONTO

Oráculo

Os ministros Jaques Wagner (Casa Civil) e Ricardo Berzoini (Secretaria de Governo) se reuniam, dias atrás, com senadores do PT e outros integrantes da sigla. Ex-prefeito de Pelotas, Fernando Marroni tomou a palavra para defender o benefício tributário ao vinho. Até ser interrompido por Berzoini:

— E a cachaça, não vai merecer o benefício?! Tenho uma ótima aqui, do Rio Grande do Sul disse o ministro enquanto se levantava para buscar a garrafa de aguardente.

— É bom vocês beberem um pouco, as notícias que tenho podem não ser boas acrescentou o petista.