Cunha pauta projeto que aumenta gasto com saúde e dá projeção à rival de Picciani no Rio

Por Painel

Não mexe comigo Contras as avaliações de que saiu enfraquecido da eleição para líder da bancada do PMDB, Eduardo Cunha fará uma demonstração de força em ao menos dois atos: com o apoio dos líderes partidários, colocará em votação a PEC que aumenta o gasto mínimo da União com saúde e nomeará Índio da Costa, pré-candidato do PSD à Prefeitura do Rio, para relatar a Lei da Olimpíada, espécie de vitrine na disputa eleitoral contra Pedro Paulo (PMDB-RJ), aliado de Leonardo Picciani.

Aqui se paga Secretário do prefeito Eduardo Paes (PMDB), Pedro Paulo se licenciou do cargo para reassumir o mandato de deputado e ajudar a derrotar Hugo Motta (PB), candidato de Cunha na disputa da bancada.

No bolso Já a PEC da Saúde, de autoria do tucano Vanderlei Macris (SP), eleva de 15% para 18,7% o investimento mínimo da União na área até 2020. O texto engessa ainda mais os gastos federais e provoca calafrios no Planalto.

Metalinguagem José Dirceu leu um livro sugestivo no cárcere. Acaba de terminar um exemplar de “O Prisioneiro”, de Érico Veríssimo. Cada livro proposto pela equipe pedagógica do sistema penitenciário reduz sua pena em quatro dias.

Se oriente, rapaz Uma das vozes do PSDB a favor do diálogo com o governo para resgatar a economia, o prefeito Arthur Virgílio (Manaus) esteve com o ministro Ricardo Berzoini (Governo).

Proverbial “Não dá para ficar na política de quem pariu Mateus, que o embale, porque Mateus é o desempregado de hoje e a empresa que demite amanhã”, alertou Virgílio, um dos mais aguerridos oposicionistas do governo Lula.

APODE2102PAINEL
‌SOS Ninguém sabe mais o que responder aos pedidos de ajuda financeira de Luiz Fernando Pezão. O governador do Rio de Janeiro tem feito um périplo pela Esplanada e por bancos.“Não é nem pires. É cuia mesmo na mão”, brinca o interlocutor de um banqueiro.

Desce Pesquisa encomendada pela equipe de Andrea Matarazzo indicou que o vereador perdeu espaço entre os filiados tucanos de novembro para cá. No período, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, evidenciou seu apoio ao pré-candidato João Doria.

Sobe A sondagem, feita com 430 filiados e finalizada na quarta (17), mostrou que Matarazzo voltou a crescer entre a militância nas últimas semanas. A dez dias da votação, Andrea teria 47% dos votos válidos. João Doria, 32%. Ricardo Tripoli, 21%.

Dá tempo? Último a entrar na disputa, Tripoli surpreendeu na pesquisa. Em novembro do ano passado, aparecia com somente 6% dos votos válidos.

Muy amigo Enquanto tucanos se estapeiam pela candidatura ao comando de SP, o presidente PSDB local, Mario Covas Neto, compartilhou nas redes sociais feitos do prefeito Fernando Haddad (PT), como bolsas de mestrado a professores e drones para monitorar focos de dengue.

Foi lindo Lula defendeu que senadores da base do governo pressionem Dilma a trabalhar pela liberação de mais crédito na economia e rememorou medidas que tomou durante a crise financeira mundial, em 2008. O ex-presidente não se convence de que a receita expirou.

Será terrível Banqueiros, porém, estão cada vez mais preocupados com o crescimento da inadimplência. Já foram alertados por seus executivos que, do jeito que a coisa vai, o calote de pessoas físicas explodirá logo mais.

Vai ter As negociações com o México para um acordo comercial avançam. O governo está animado e crê que será possível eliminar impostos de até 6 mil produtos –hoje, o acerto em vigor envolve apenas cerca de 800 itens.


TIROTEIO

Dilma não vai fazer a reforma da Previdência porque há outras duas reformas que lhe tiram mais o sono: a do sítio e a do tríplex.

DE SAMUEL MOREIRA (PSDB-SP), deputado federal, sobre a dificuldade de se promover ajustes nas aposentadorias e as recentes polêmicas envolvendo Lula.


CONTRAPONTO

Vice-líder do governo, Silvio Costa (PT do B-PE) dava uma entrevista no início da semana defendendo o ex-presidente Lula da acusação de que é dono de um sítio em Atibaia, cujas reformas foram pagas por empreiteiras.
O deputado tentava desconversar o tempo todo até que um repórter decidiu pressioná-lo:
— Mas o presidente já foi mais ao sítio do que eu vou à casa da minha vó! — disse o jornalista.
Sem saída, Costa devolveu:
— Mas aí a culpa é sua, que é um neto ingrato! — falou, arrancando risos dos repórteres ao seu redor.