Para evitar novas derrotas no TCU, governo admite voltar atrás em remendo à Lei Anticorrupção

Por Painel

Entregar os anéis Para evitar que uma rebelião no Tribunal de Contas da União prejudique o ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, no julgamento dos responsáveis pelas pedaladas, o governo está disposto a rever no Congresso pontos da medida provisória que alterou a Lei Anticorrupção. O Planalto admite nos bastidores retirar o trecho no qual a corte só atuaria após fechados os acordos de leniência, contratos que permitirão às empresas da Lava Jato voltar a prestar serviços para a União.

Preço alto Irritados, alguns ministros do tribunal prometem endurecer no julgamento que definirá as penas e os autores individuais das pedaladas caso a medida provisória siga como está.

À casa torna O marqueteiro João Santana, há tempos sumido do Planalto, voltou a dar pitaco nas ações de comunicação do governo.

Gato preto Para Eduardo Cunha, Jaques Wagner cumprirá a profecia: “É a maldição da Casa Civil”, deleita-se, antes de começar a citar os ministros petistas que passaram por alguma investigação ou escândalo.

Fila indiana “José Dirceu, Erenice Guerra, Antonio Palocci, Gleisi Hoffmann, Aloizio Mercadante. Todos investigados”, completa. “Jaques Wagner será o próximo”, aposta ele.”E, contra Dilma, tem o impeachment.”

Mais que a boca Lula foi bem no depoimento de quase seis horas prestado à PF nesta quarta-feira (6), afirmam investigadores. Segundo eles, “estava muito falante”. O petista só se mostrou incomodado quando tocaram no nome do filho Luís Cláudio.

apode1001painel

Abaixo de zero Dilma tem um hábito estranho. Sempre que um ministro volta de férias, a chefe costuma colocar o auxiliar na geladeira. Ninguém sabe o porquê.

Momento Pasteur Um ministro que já foi e voltou do freezer incontáveis vezes, resume: “Vou para a geladeira. Aí, com o calor da crise, sofro um choque térmico e, pronto, pasteurizo!”.

Corredor polonês Nelson Barbosa enfrentará em breve alguns de seus críticos internos. Ele confirmou participação em uma reunião com integrantes do PT e especialistas para debater os rumos da economia. Os economistas Luiz Gonzaga Belluzzo e Delfim Netto serão chamados.

Matusalém Em auditoria na Receita Federal, a CGU identificou 47.643 de CPFs irregulares. Entre eles, um número significativo de pessoas com “idades superiores às normais de um ser humano”. Os auditores encontraram brasileiros que nasceram nos séculos XII, XI e II.

Front page O senador Aécio Neves (PSDB-MG) concedeu uma entrevista para a Harvard International Review, revista trimestral dedicada à política externa. O presidente do PSDB defendeu mudanças no Mercosul e, claro, criticou o governo petista.

Beijo no ombro Aécio é o segundo brasileiro a aparecer na capa da publicação. O outro foi o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Dilma Rousseff foi convidada no ano passado a dar uma entrevista, mas ainda não respondeu ao convite.

Tô indo, viu? O secretário de educação da cidade de SP, Gabriel Chalita, tem encontro com Michel Temer na próxima semana para falar de sua saída do PMDB.

Não deu liga Interlocutores de Fernando Haddad (PT) procuraram Marina Silva para sondá-la sobre as chances de abrigar Chalita na Rede. A tentativa ainda não prosperou. Haddad quer Chalita como vice em sua campanha de reeleição à prefeitura.

Calma, cocada As críticas do vereador tucano Andrea Matarazzo à proposta de Haddad de eleição para subprefeitos incomodou parte do PSDB: “Não dá para fazer um discurso anti-democracia”, dizem.


TIROTEIO

Até José Dirceu sabe que a permanência do PT na Presidência está por um fio, mas Dilma ainda insiste em brincar de ser presidente.

DE VANDERLEI MACRIS (PSDB-SP), deputado federal, sobre a notícia de que o ex-ministro disse a amigos na prisão que o PSDB pode voltar a governar o país.


CONTRAPONTO

Troféu fadiga

Ao encerrar os trabalhos do dia na Comissão de Ética, o deputado José Carlos Araújo (PSD-BA), que presidia a reunião, comentou:
— A Bahia se faz sempre presente, em todas as fases desta Casa — referindo-se aos baianos Cacá Leão (PP) e João Bacelar (PTN), que haviam pedido vista.
O deputado Chico Alencar (PSOL-RJ) implicou:
— Não vou dizer que a Bahia quer lentidão…
— Não, porque vossa excelência vai me obrigar a dizer que há um Estado mais lento que o nosso! O carioca fica muito tempo a olhar para o Cristo Redentor e deixa de trabalhar um pouco — rebateu o deputado baiano