PSDB cobra de Alckmin posição clara sobre apoio nas prévias em São Paulo

Por Painel

Em cima do muro Tucanos cobram de Geraldo Alckmin uma posição clara sobre qual candidato apoiará nas prévias do partido para a Prefeitura de São Paulo. Aliados avaliam que o governador deve recuar do apoio à candidatura de João Dória — o que resiste a fazer — ou colocar de vez sua equipe em campo para garantir a vitória do empresário. A avaliação é que, da forma como está, caso o vereador Andrea Matarazzo seja o escolhido, o governador será criticado por não ter ajudado seu candidato favorito.

Eu sozinho Já no PT, a cúpula do partido diz que vai “torcer muito” por Fernando Haddad no ano que vem. Mas só. “Ele continua sem escutar uma palavra do que dizemos”, sustenta um dirigente.

Próximo O cartel em licitações de trens e metrô de São Paulo, que atinge a gestão Alckmin, segue para a reta final. A ideia é que seja possível encaminhá-lo para julgamento no Cade no primeiro semestre de 2016. O processo é de março de 2014.

Por partes A tendência é que a ação sobre as 18 empresas investigadas de participação no esquema seja a primeira a ser analisada. O órgão antitruste separou a análise da conduta dos executivos para dar celeridade ao caso.

APODE2512PAINEL

Doente do pé De cadeira de rodas depois de ter quebrado o pé, o prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB), está nervoso com o tempo de recuperação. “Tenho de tirar o gesso até o início de fevereiro. Era só o que faltava estar assim no meu último Carnaval como prefeito”, reclama.

Sandálias… Habituado a defender políticos, o criminalista Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, vai assumir a causa do fotógrafo Lula Marques, detido pela Polícia Legislativa enquanto cobria para o PT a sessão do Senado que examinaria a prisão de Delcídio do Amaral (PT-MS).

… da humildade A defesa diz que a prisão foi arbitrária. O advogado também avalia que houve abuso de autoridade, agressão física e há espaço para danos morais. Kakay não cobrará honorários.

Dinâmica… Dilma Rousseff tem dito que o novo ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, não pode ser tratado como o salvador da pátria na retomada da economia.

… de grupo Em conversas recentes, a presidente mencionou ministros como Armando Monteiro (Desenvolvimento) e presidentes de bancos públicos como vetores do crescimento.

Que perigo 1 O plenário da Câmara dos Deputados funciona há anos sem autorização do corpo de bombeiros. A Casa fez o pedido para obter o alvará neste ano, mas a corporação exigiu uma série de adaptações no espaço.

Que perigo 2 As reformas — como a criação de uma rota de fuga e a remoção do corrimão que separa cadeiras laterais dos assentos dos deputados — serão tocadas durante o recesso. O objetivo é que o espaço receba autorização antes da volta aos trabalhos.

Incontornável Aliados de Michel Temer estão reticentes sobre a possibilidade de dar um “passa-moleque” em Eduardo Cunha e isolá-lo das discussões sobre sua própria sucessão — caso o Supremo decida afastá-lo.

Junte-se a ele “A maior bancada da Câmara é a dele. Só depois vêm o PMDB e o PT”, sustenta um aliado do vice.

Nem aí Cunha diz que a decisão de arquivar o pedido de impeachment de Temer nada tem a ver com o parecer do tribunal de contas isentando o vice de responsabilidade: “Não usei até agora nada do TCU como suporte para decisões”, afirma.

Tempo perdido Tucanos fazem suas contas: Dilma já perdeu o primeiro ano. Perderá o primeiro semestre de 2106 com o impeachment e o segundo com as eleições municipais. “Será um mandato que não existiu”, sustenta um dirigente do PSDB.


TIROTEIO

Uma ditadura, a gente sabe como começa, mas não como termina. Que o digam os que apoiaram 1964, e depois foram perseguidos.

DO DEPUTADO CARLOS ZARATTINI (PT-SP), sobre o golpe militar de 1964 e as manifestações pelo impeachment de Dilma Rousseff e contra seus apoiadores.


CONTRAPONTO

A impressão que fica

Em sessão sobre a reforma política, ainda no primeiro semestre, deputados discutiam a redução da maioridade eleitoral — para que fosse possível candidatar-se a partir dos 16 anos. Chico Alencar (PSOL-RJ) brincou:

—Recomendo aos jovens que não venham para cá tão cedo. Podem sofrer más influências…

Sóstenes Cavalcante (PSD-RJ) reagiu:

—Se alguns se consideram mau exemplo para a juventude, aqui há muitos deputados que são exemplares!

Alencar deu o braço a torcer:

—Refaço a fala: não venham antes de ter boa vivência, já vacinados contra maus exemplos!