Cunha não descarta aceitar novo pedido de impeachment de Dilma

Por Painel

Tudo de novo? Assinado pelos juristas Hélio Bicudo e Miguel Reale Júnior, o novo pedido de deposição da presidente Dilma Rousseff, desta vez com acusações de irregularidades supostamente cometidas este ano pelo governo, pode voltar a incendiar o clima em Brasília justamente quando o Planalto dava o assunto como encerrado. Informado de que o requerimento deve ser protocolado na terça, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), não descartou aceitar a denúncia.

E agora? “Ficarei na saia justa porque será a primeira peça que efetivamente contempla as exigências legais e constitucionais”, disse Cunha a um interlocutor.

Só que não Na sexta, o ex-presidente Lula avaliou que a discussão sobre o impeachment estava superada.

Descontrole Nas conversas que teve, Lula também demonstrou profunda irritação com o que chamou de “descontrole absoluto” do governo em relação aos vazamentos da Lava Jato.

Menos é mais No Planalto, a avaliação é a de que, quanto mais exposto a delações como a do lobista Fernando Baiano, menos o ex-presidente pode ajudar Dilma a superar a crise.

Bola sete Se não fechar um acordo com a Petrobras até a segunda-feira, a Sete Brasil ficará inadimplente e com uma dívida bilionária para quitar junto a diversos bancos.

Dinheiro na mão Os bancos estão dispostos a prorrogar o prazo para o pagamento da dívida, mas desde que as duas empresas se resolvam. Até a noite de sexta (16), ainda divergiam sobre os termos do contrato de aquisição de sondas de perfuração de petróleo.

apode1810painel

Hélice Joaquim Levy (Fazenda) se recusou a embarcar com outros ministros em um avião turboélice, da FAB. Ao saber que não voaria num jato, o ministro rapidamente se despediu dos colegas dizendo que pegaria um voo de carreira: “É mais rápido”.

Bola na área Com o fim próximo da CPI da Petrobras, deve vir aí a CPI do Futebol. Eduardo Cunha informou a alguns de seus colegas que esta deve ser a próxima investigação do Congresso.

Caixa preta Parlamentares querem mapear as conexões do empresário J. Hawilla, um dos pivôs do escândalo de corrupção na Fifa. Ele entregou a cúpula da CBF à justiça americana, dizendo que Ricardo Teixeira, José Maria Marin e Marco Polo Del Nero recebiam suborno.

Esboço Circulou nos últimos dias entre alguns dos pré-candidatos à Prefeitura de São Paulo pesquisas que mostram o rascunho do cenário para a disputa eleitoral do ano vem.

Periferia A senadora Marta Suplicy, recém-filiada ao PMDB, é o nome com mais “marcas” entre os concorrentes, quase sempre lembrada pela criação do Bilhete Único e dos CEUs.

Por outro lado Os eleitores paulistanos não deixam de citar, porém, o apelido “Martaxa” e a expressão “Relaxa e goza”, dita por ela em 2007 durante o caos aéreo, quando era ministra do Turismo do governo Lula.

Famoso quem? Embora não reflitam a intenção de voto caso a eleição fosse hoje, as pesquisas testaram o grau de conhecimento dos possíveis candidatos do PSDB. Quando se apresenta apenas os nomes dos postulantes, nenhum tucano supera a marca de 2%.

Ao vivo Já quando os eleitores estão diante da cartela de fotos e de um breve currículo dos candidatos, o pré-candidato João Doria Jr. apresenta leve vantagem sobre os demais postulantes do PSDB.

Telinha O fato é atribuído aos tempos de Doria como apresentador do reality show “O Aprendiz”, da Record.


TIROTEIO

A decisão do STF e as denúncias sobre Cunha abalaram nossa estratégia, mas a crise e o lodaçal da corrupção não se alteraram.

DO DEPUTADO MARCUS PESTANA (PSDB-MG), sobre o novo pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff patrocinado pela oposição.


CONTRAPONTO

Quem te viu quem te vê

Na década de 1980, quando era diretor de redação da revista “Exame”, o hoje presidente do PT, Rui Falcão, foi procurado por um estudante de Jornalismo que queria trabalhar como estagiário da publicação.
Imaginando que surpreenderia Falcão –que na época também ocupava uma das diretorias do Sindicato dos Jornalistas– o rapaz mostrou-lhe, orgulhoso, uma pasta com o seu portfólio. Lá estavam reunidas reportagens produzidas para jornais sindicais, além de panfletos para partidos políticos.
Ao terminar de ver o material, Rui soltou:
–Melhor jogar isso fora. Não é bom pra você!