Em disputa interna, vereadores do PSDB declaram apoio a filho de Covas

Por Thais Arbex

A bancada de vereadores do PSDB de São Paulo divulgou nota contra a intervenção do partido na disputa interna pela prefeitura paulistana. No texto, os parlamentares declaram “apoio integral e unânime” ao vereador Mario Covas Neto, o Zuzinha, presidente municipal do partido, que classificou a manobra de “coronelista”. “Depositamos nossa confiança em sua capacidade para conduzir com justiça todos os assuntos relativos ao diretório da Capital, inclusive no que se refere ao processo que levará à escolha do nosso candidato à Prefeitura em 2016.”

Com a nota, os vereadores respondem à expectativa dos caciques do partido em São Paulo de que o filho do ex-governador Mario Covas “se isolaria” por “não respeitar a hierarquia da estrutura partidária”, mas dizem que não pretendem “afastar outras instâncias partidárias das discussões relativas à cidade de São Paulo”. “Todos os que desejam contribuir são bem-vindos.” Em resolução baixada na segunda-feira, com o aval do governador Geraldo Alckmin, a Executiva paulista tirou o poder do diretório municipal na organização das prévias para a eleição do ano que vem. A principal preocupação dos aliados do governador é impedir a realização da disputa interna ainda este ano, principalmente ao detectar que a pré-candidatura de Andrea Matarazzo estava avançado.

Mesmo assim, nesta quarta-feira, Zuzinha divulgou nota afirmando que estavam mantidas as regras que estabeleceu para a disputa interna: os interessados a participar do processo só podem se inscrever até esta sexta-feira e se pagarem R$ 20 mil. Até agora, só Andrea Matarazzo e João Doria Jr. cumpriram o cronograma da direção municipal. Alckmin, que planeja usar uma eventual vitória tucana em São Paulo para se projetar em 2018, resiste em apoiar Matarazzo por considerá-lo muito ligado ao grupo do senador José Serra no partido.

A ala do PSDB ligada ao governador trabalha para lançar o secretário Alexandre de Moraes (Segurança Pública) como o candidato do partido à Prefeitura de São Paulo. Embora ainda não esteja filiado ao partido, o secretário participou de jantar da cúpula tucana paulista com os pré-candidatos a prefeito. Os vereadores terminam o texto dizendo que o objetivo da bancada para 2016 é “claro e conhecido por todos: unir o partido em torno de uma candidatura forte e viável para a Prefeitura de São Paulo”.

Íntegra

Leia, abaixo, a íntegra da nota da bancada de vereadores do PSDB de São Paulo.

NOTA OFICIAL DA BANCADA DE VEREADORES DO PSDB DE SÃO PAULO
A bancada de vereadores do PSDB de São Paulo reitera publicamente seu apoio integral e unânime ao presidente do diretório municipal do partido, vereador Mario Covas Neto. Depositamos nossa confiança em sua capacidade para conduzir com justiça todos os assuntos relativos ao diretório da Capital, inclusive no que se refere ao processo que levará à escolha do nosso candidato à Prefeitura em 2016. Covas Neto, legitimamente eleito para o cargo que ocupa, sempre conduziu com equilíbrio e isenção os assuntos partidários.

Nossa posição não pretende afastar outras instâncias partidárias das discussões relativas à cidade de São Paulo, a maior do país e berço de nosso partido. Todos os que desejam contribuir são bem-vindos.

O PSDB de São Paulo sempre foi – e continuará sendo, no que depender de nós – um partido aberto ao diálogo, com espaço para todas as vozes que tenham verdadeira disposição para somar esforços. Para 2016, o objetivo da nossa bancada é claro e conhecido por todos: unir o partido em torno de uma candidatura forte e viável para a Prefeitura de São Paulo, que seja capaz de oferecer à cidade a esperança de dias melhores e represente com legitimidade os ideais do PSDB. Juntos, seremos capazes de compartilhar esse projeto com todos os paulistanos.

Vereadores da Bancada do PSDB de São Paulo
ADOLFO QUINTAS
ANDREA MATARAZZO
ANIBAL DE FREITAS
AURÉLIO NOMURA
CLAUDINHO DE SOUZA
EDUARDO TUMA
GILSON BARRETO
PATRICIA BEZERRA
SALOMÃO PEREIRA