Sem segundo ministério, líder do PMDB ameaça retirar indicações

Por Paulo Gama

O líder do PMDB na Câmara, Leonardo Picciani (PMDB-RJ), ameaça retirar as indicações da bancada para o Ministério da Saúde caso a presidente Dilma Rousseff volte atrás na decisão de entregar duas pastas a nomes apresentados pelos deputados do partido.

Os deputados do PMDB ofereceram indicações ao Planalto para os ministérios da Saúde e da Infraestrutura, que seria criado a partir da fusão de Aviação, controlada por Eliseu Padilha, e Portos, comandada por Edinho Araújo –ambos aliados de Michel Temer.

Para manter Padilha na Esplanada e acomodar Hélder Barbalho –cujo Ministério da Pesca deve ser extinto–, entretanto, Dilma passou a considerar a possibilidade de não extinguir a Secretaria da Aviação Civil.

Caso a presidente não ofereça um segundo ministério à bancada, Picciani diz que o acordo inicial feito com os deputados fica superado, e a bancada irá retirar as indicações que fez para as duas pastas.