Planalto procura Temer para desfazer mal-entendidos e evitar rompimento

Por Painel

Não vá embora Preocupado com o distanciamento crescente de Michel Temer, o Planalto procurou o vice para tentar “apaziguar” a relação e desfazer mal-entendidos após as reações internas a sua declaração de quinta-feira. O ministro Aloizio Mercadante (Casa Civil) telefonou para Temer no sábado, reafirmando sua importância para o governo. Para peemedebistas, houve demora a reconhecer o risco que o isolamento do vice pode representar à permanência de Dilma Rousseff no cargo.

Pelo em ovo Deputados de oposição diziam que, apesar de ter acenado a Dilma, a nota publicada pelo vice neste domingo deixa uma mão estendida ao grupo. Ao dizer que “seu limite é a lei”, sustentam, Temer não se opôs ao processo de impeachment.

Déjà-vu Hélio Bicudo, que apresentou pedido de cassação de Dilma, vem sendo chamado pelos deputados que articulam a saída da petista de “o nosso Barbosa Lima”, uma referência ao jornalista que pediu o afastamento de Fernando Collor em 1992.

Vidente No encontro com empresários promovido por Rosangela Lyra, Temer também disse que a reforma administrativa de Dilma, prevista ainda para este mês, criará problemas com a base de sustentação no Congresso.

Vem comigo Relator do Orçamento, Ricardo Barros (PP-PR) vai nesta terça-feira à Fiesp escutar o empresariado. Quer sentir a disposição do grupo para endossar um aumento de tributo que facilite a busca de superavit em 2016.

apode0709painell

Quanto antes Barros tem defendido que um ajuste com aumento de carga tributária pode ser menos danoso à economia do que a aprovação de um Orçamento deficitário, que poderia levar à perda do grau de investimento do país.

Voz da experiência Ex-ministro da Fazenda, Guido Mantega tem se mostrado solidário com o sucessor, Joaquim Levy. “A melhor opção do governo é mantê-lo no cargo e trabalhar pelo superavit de 0,7%. Não tem como criar um plano B”, diz a aliados.

Na urna Diferentemente dos líderes do Vem pra Rua, que descartam seguir carreira política, coordenadores do Movimento Brasil Livre se preparam para disputar as eleições de 2016.

Laboratório Como não há tempo de formar um novo partido, os militantes do MBL se filiarão a siglas de oposição. Organizam cursos de formação política para unificar o discurso, mesmo dispersos.

Na balança Contrariando a expectativa do governo de adesão maciça ao Profut, o programa de refinanciamento das dívidas fiscais de cerca de R$ 4 bilhões com a União, muitos clubes de futebol já voltaram atrás na decisão.

Cartão vermelho Os cartolas têm dito que o ônus de aderir à proposta é “muito alto”, principalmente por ter como uma das sanções para o não cumprimento o rebaixamento de inadimplentes.

Três em um Bruno Covas, Ricardo Tripoli e José Aníbal, pré-candidatos do PSDB à Prefeitura de São Paulo, estiveram na semana passada com o secretário estadual Alexandre de Moraes, que prepara sua filiação à sigla.

Forfait O trio discute a possibilidade de se unir em torno de um único candidato nas prévias do partido.

Prévia da prévia Um dos cargos vagos na direção do PSDB paulistano foi motivo de discussão em reunião na quinta-feira. Pré-candidato à prefeitura, João Doria Jr. tentou emplacar um aliado, mas acabou derrotado pelo vereador Andrea Matarazzo, rival interno na disputa.

Laços de família Autor do projeto que proíbe o Uber na cidade de São Paulo, o vereador Adilson Amadeu (PTB) tem como assessora a filha do presidente do Sindicato dos Taxistas, Natalício Bezerra. A votação da proposta ocorre na quarta-feira.


TIROTEIO

Alimentar a versão de que Temer é capaz de qualquer incorreção com Dilma está errado. Quem faz isso mostra que não o conhece.

DO MINISTRO DO TURISMO, HENRIQUE ALVES (PMDB-RN), sobre reações às declarações do vice Michel Temer, que provocaram atrito com Dilma Rousseff.


CONTRAPONTO

Força do nome

A sessão da Câmara que aprovou em primeiro turno a PEC dos Cartórios foi marcada por discussões acaloradas. O projeto efetiva, sem concurso, os responsáveis por cartórios que hoje exercem a função interinamente.

Em meio aos debates, um deputado do Pros reconheceu que inicialmente era contra o texto, mas mudou de posição depois de ser convencido pelo colega de bancada Givaldo Carimbão (AL).

Ivan Valente (PSOL-SP), contrário à emenda, rebateu com tom irônico:

—Também, se um Carimbão não lhe convencesse sobre cartórios…