Batizada de ‘projeto impeachment’, recriação da CPMF irrita Temer

Por Painel

‘Projeto impeachment’ A intenção do Planalto de recriar a CPMF surpreendeu e irritou Michel Temer. Alheio à discussão dentro do governo sobre a volta do tributo, o vice-presidente deixou claro à equipe que não vai se empenhar por sua aprovação no Congresso. Temer estava especialmente contrariado porque seria cobrado pela ideia em jantar com empresários nesta quinta-feira, em São Paulo. Aliados que conversaram com o vice batizaram a proposta de “projeto impeachment” de Dilma Rousseff.

Leve e solto Temer aceitou convite de Rosângela Lyra, do Acorda Brasil –movimento de oposição à presidente–, para encontro na quinta-feira, 3 de setembro.

Reincidente Aliados de Renan Calheiros avaliam que os estudos pela volta do tributo lembram o anúncio do ajuste fiscal, que foi feito sem conversa prévia com o Congresso, logo depois de uma promessa do governo de mais diálogo com o Legislativo.

Day after Peemedebistas viram trecho da fala de Rodrigo Janot na sabatina como sinal de que o procurador-geral pode, uma vez reconduzido, se debruçar sobre a análise da campanha de Dilma.

Fica a dica Questionado pelo PSDB, Janot respondeu: “A doação eleitoral passa a ser ilícita se vem travestida de propina. Aí ela não é doação eleitoral, é uma forma de lavagem para dentro”.

X da questão A discussão sobre se doações registradas podem ser consideradas ilegais caso fique provada a origem em contratos superfaturados com empresas públicas será uma das discussões centrais nos processos da Operação Lava Jato.

Holofote Apesar de não haver consenso na bancada, deputados tucanos falam em pressionar a ministra Luciana Lóssio, do TSE, na tribuna da Câmara, caso demore a devolver o processo sobre as contas de campanha de Dilma.

Apelou… Ministros do TCU se queixaram do anúncio de que o governo recorreria no próprio tribunal –o que garantiria 12 dias extras na marra– caso não fosse dado mais tempo de defesa no processo das contas de 2014.

… perdeu A área técnica do tribunal de contas deve entregar nesta sexta-feira seu parecer sobre as 13 irregularidades iniciais apontadas nas contas da presidente.

Liberou O juiz Sérgio Moro aceitou pedido de Marcelo Odebrecht para não comparecer, na próxima semana, à oitiva de testemunhas de acusação sobre a participação da empreiteira no escândalo de corrupção da Petrobras.

Invisível Depois da troca de advogado, o pedido de dispensa das audiências faz parte da estratégia da defesa para tentar tirar o empresário da linha de frente do caso.

Abismo Em reunião com senadores no início da semana, Nelson Barbosa (Planejamento) disse que “até hoje” a queda de arrecadação é de R$ 150 bilhões em relação à expectativa do governo.

Em branco Uma semana depois de Geraldo Alckmin determinar que as empresas públicas do Estado divulguem os salários dos funcionários, o Portal Transparência do governo ainda não recebeu os dados. A Sabesp é uma das mais resistentes.

Mãozinha Pré-candidato a prefeito de São Paulo pelo PSDB, João Doria Jr. conta com a ajuda do marqueteiro Nelson Biondi, que fez a campanha de Alckmin em 2014.

Pé no… A oposição ao prefeito Fernando Haddad apresentou nesta quinta-feira na Câmara municipal decreto que suspende a redução das velocidades nas marginais Tietê e Pinheiros.

… acelerador O texto do vereador Eduardo Tuma (PSDB) deve ser apreciado pela Comissão de Constituição e Justiça da Casa na semana que vem. Se aprovado, segue para o plenário.

Visita à Folha José Seripieri Junior, fundador e presidente do Conselho de Administração da Qualicorp, visitou ontem a Folha. Estava acompanhado de Mauricio Ceschin, presidente do Grupo Qualicorp, e de Cleber Martins e Guilherme Scarance, consultores de comunicação.


TIROTEIO

O esporte ensina a respeitar o resultado do jogo, mas também a questionar quando o jogador do outro time faz o gol com a mão.

DO DEPUTADO CARLOS SAMPAIO (PSDB-SP), sobre a presidente Dilma afirmar, em recado à oposição, que atletas respeitam adversários e aceitam o resultado.


CONTRAPONTO

Não contem comigo 

apode2808painel

Sindicalistas estiveram com Eduardo Cunha nesta quarta-feira para pedir apoio a propostas de seu interesse. João Batista Inocentini, presidente do Sindicato dos Aposentados, pediu a palavra:
–Presidente, quero recebê-lo em nosso sindicato em São Paulo para um café e também para que o senhor preencha nossa ficha de inscrição para se juntar aos aposentados e idosos do sindicato.
O presidente da Câmara reagiu, bem humorado:
–O café eu aceito, mas ainda não estou aposentado e faltam alguns anos para os meus 60!