Manifesto do PT pela saída de Cunha unirá PMDB em guerra contra Dilma

Por Painel

Tabuleiro de War Peemedebistas próximos a Eduardo Cunha dizem que a possibilidade de que o PT assine em peso o manifesto pelo afastamento do presidente da Câmara é o ingrediente que pode unificar a bancada e deflagrar uma “guerra” contra Dilma Rousseff. Após a inclusão de alguns petistas na lista e a declaração de Rui Falcão de que as acusações eram “gravíssimas”, Cunha disse a Michel Temer que, caso a ação petista se amplie, exigirá uma “resposta institucional” do PMDB.

Volta à ribalta Após a denúncia de Rodrigo Janot contra Cunha, sua tropa age para levar Marcos Valério para depor na CPI da Petrobras.

Flashback Condenado pelo mensalão, o ex-publicitário disse ao Ministério Público em 2012 que o PT usou recursos da estatal para abafar investigações do caso Celso Daniel –prefeito de Santo André assassinado em 2002.

Até ele Aliados de Cunha ensaiam argumento para contestar o pedido de deputados para que ele se afaste da presidência. Dizem que Janot poderia ter pedido sua saída do cargo, mas não o fez.

Ideia fixa A oposição deve voltar a se reunir com juristas na próxima terça-feira, no Congresso, para discutir caminhos para um pedido de impeachment de Dilma.

Água mole 1 Familiares de Pedro Côrrea (PP-PE), preso na Operação Lava Jato, estiveram em Brasília semana passada. Disseram a parlamentares que cresceu a chance de o ex-deputado, que já cumpre pena pelo mensalão, fazer delação premiada.

Água mole 2 A oposição alimenta a expectativa de que Corrêa escancare relações políticas para as indicações de diretores da Petrobras.

Coincidência Deputados indicam outro ponto em comum entre Fernando Collor (PTB-AL) e Cunha: os primeiros políticos denunciados foram os únicos que afrontaram publicamente Janot.

Delete Após a Assembleia de Deus em Madureira aparecer na denúncia por ter recebido, a pedido de Cunha, R$ 250 mil, Abner Ferreira, líder da igreja, apagou as contas no Facebook e Twitter.

Janot? Na última postagem no Facebook, depois da peça, Ferreira escrevera uma citação bíblica: “Se Deus é por nós, quem será contra nós?”.

Ando devagar Cobrado por tucanos para que viaje mais pelo país e discurse mais no Senado para se cacifar como sucessor natural de Dilma, Aécio Neves adota uma resposta “à mineira”.

Já tive pressa O senador repete: “Nem correr demais para que não pareça afoiteza nem andar tão devagar que pareça falta de apetite”.

Nos cascos Até Aécio e Geraldo Alckmin se surpreenderam com o petardo FHC contra Dilma: quando chegaram à casa do ex-presidente na semana passada, ele já estava com a nota em que fala na renúncia pronta.

Na chuva Os tucanos criticaram o fato de Janot não ter mandado, junto com as primeiras denúncias ao STF, o arquivamento do inquérito contra Antonio Anastasia.

Pé do ouvido Interlocutores do Ministério Público tinham avisado que o procurador-geral não via elementos para seguir com a investigação contra o senador mineiro.

Cofrinho 1 Relatório da Previc, órgão do Ministério da Previdência que fiscaliza fundos de pensão, aponta irregularidades em sete aplicações do Postalis, dos Correios.

Cofrinho 2 O material, que mostra prejuízo de R$ 824 milhões, foi enviado à CPI dos Fundos de Pensão.

apode2308painel

Quilo Mais novo ministro do STF, Edson Fachin costuma almoçar no bandejão da corte com funcionários do gabinete. Cezar Peluso, que se aposentou em 2012, também frequentava o restaurante.


TIROTEIO

Na primeira semana de CPI, já conseguimos ver quem perdeu com as fraudes nos fundos. Agora vamos pra cima de quem ganhou.

DE EFRAIM FILHO (DEM-PB), presidente da CPI dos Fundos de Pensão, sobre a comissão ouvir os pensionistas afetados antes dos representantes dos fundos.


CONTRAPONTO

Freud explica

Negociador da reforma do FGTS na Câmara, o deputado Carlos Marun (PMDB-MS) foi chamado a discutir o tema em reunião com o relator Rodrigo Maia (DEM-RJ), o vice Michel Temer e os ministros Gilberto Kassab (Cidades), Ricardo Berzoini (Comunicações), Joaquim Levy (Fazenda) e Nelson Barbosa (Planejamento).
Quando chegou, cumprimentou Temer em voz alta:
–Presidente Michel!
Com o clima de instabilidade no ar, os ministros trocaram olhares ressabiados.
–Quer dizer, presidente do PMDB… Sem clima de golpe!–disse, tentando desfazer o mal-entendido.