Tucanos usam redes sociais para convocar para atos anti-Dilma

Por Vera Magalhães

Uma semana depois de o PSDB usar suas inserções no horário de rádio e TV destinado aos partidos para convocar a população a participar das manifestações contra a presidente Dilma Rousseff que ocorrem neste domingo, deputados e vereadores tucanos reforçaram a pregação pelas redes sociais.

Dois vídeos que circularam nas páginas do partido e em mensagens de WhatsApp nesta quarta-feira associam o governo à corrupção, à inflação e ao desemprego e convidam os destinatários a engrossarem os protestos.

Um dos vídeos reúne oito dos chamados “cabeças pretas”, como são conhecidos os jovens deputados federais da bancada tucana. Em jogral, eles declamam um texto elencando supostas mazelas do governo e terminam sempre com “domingo eu vou pra rua”. E dizem, em coro: “Dia 16, todos na rua!”.

Os novos deputados ganharam o apelido em contraposição aos chamados “cabeças brancas”, a velha guarda do partido, abrigada principalmente no Senado –que tem visão mais moderada sobre a forma do partido se contrapor ao governo.

Parte da nova geração a pressão maior para que o PSDB assuma a linha de frente do ”fora Dilma”, como fez Aécio na semana passada ao deixar que dois de seus porta-vozes defendessem a realização de novas eleições.

O outro é protagonizado pelo vereador Andrea Matarazzo, um dos vários pré-candidatos tucanos à prefeitura de São Paulo, marcando um ponto de encontro dos tucanos na avenida Paulista na manifestação.

 

A ideia de engajar o partido nos protestos dividiu a cúpula tucana. Caciques como o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e o governador Beto Richa (PR) foram contrários à tese, encampada pelo presidente da sigla, Aécio Neves (MG) –que, a despeito do apoio, ainda não decidiu se participará pessoalmente das manifestações.