Advogado pedirá à Procuradoria que investigue membros de CPI

Por Painel

Contra-ataque O advogado Antonio Figueiredo Basto, que assumiu a defesa do executivo e delator Julio Camargo no lugar de Beatriz Catta Preta –e também defende o doleiro Alberto Youssef na Lava Jato–, apresentará nesta semana uma representação ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pedindo que os deputados Celso Pansera (PMDB-RJ) e Hugo Mota (PMDB-PB), entre outros membros da CPI da Petrobras, sejam investigados por causa dos requerimentos que apresentaram na comissão.

Defesa O mote do pedido serão as declarações de Catta Preta, segundo as quais ela e seus clientes sofreram intimidação —a advogada não deu nomes. “Essa investigação [da CPI], pra mim, não tem crédito nenhum”, diz Figueiredo Basto. “É um gasto de dinheiro público com intenções claras”, completa.

Aproximação 1 Com a esperada ofensiva do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), na volta do recesso parlamentar, setores do PT interpretaram o artigo de FHC na imprensa nacional e sua entrevista a uma revista alemã como uma abertura para o diálogo.

Aproximação 2 A movimentação de “embaixadores da paz” dos dois lados foi intensa neste domingo. Petistas iniciaram movimentos para construir a tão sonhada agenda de unidade entre PT e PSDB. Mas há muita gente, de ambos os lados, que não acredita no fôlego político dessa movimentação.

Acho difícil O próprio presidente da Câmara acredita que a aproximação de PT e PSDB é carta fora do baralho, independentemente de possíveis mudanças no cenário. A interlocutores Cunha opinou que FHC sempre adotou um tom “mais light” que a média dos colegas tucanos.

Corrida… A defesa da Camargo Corrêa se apressou para fechar o acordo de leniência com o Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) sobre a atuação de cartel nas licitações da usina Angra 3 com receio de que, caso demorasse, não conseguisse negociar bons termos.

… maluca Os advogados da empreiteira sabiam que a UTC está em conversas adiantadas com o Cade para fechar um acordo que envolveria também o setor elétrico. Nos acordos com o órgão, o primeiro a denunciar um cartel sempre consegue mais benefícios que os seguintes.

apode0308painell

Saudação 1 Militantes da Força Sindical farão um protesto no caminho do Palácio da Alvorada nesta segunda, quando a presidente Dilma Rousseff recebe líderes e presidentes de partidos aliados.

Saudação 2 Os sindicalistas servirão sardinhas na brasa e uma “mandiocada”, numa referência ao já famoso discurso da presidente em saudação ao tubérculo.

Público adverso O vice-presidente Michel Temer ainda não decidiu se aceita o convite de Rosângela Lyra para se encontrar com socialites em São Paulo. O peemedebista vai à capital paulista falar com vereadores e deputados estaduais do partido.

Casa caindo A Frente Nacional de Prefeitos mobiliza sem-tetos e empresários da construção para tentar evitar mudanças no FGTS articuladas na Câmara pelo grupo de Eduardo Cunha. Para os prefeitos, alterar o cálculo do fundo pode afetar o “Minha Casa, Minha Vida” e piorar conflitos por moradia.

Sem descanso O decano do Supremo, Celso de Mello, e o presidente da corte, Ricardo Lewandowski, responsáveis por analisar pedidos de liminares durante o recesso do Judiciário, deram decisões relativas a 885 processos entre os dias 6 e 31 de julho.

Na média Na primeira semana do recesso, Celso de Mello respondeu por 220 ações. No restante do mês, Lewandowski emitiu 665 decisões —média de 222 por semana, pouco acima da produção do colega de tribunal.


TIROTEIO

Essas candidaturas são uma exploração populista, não trazem nada. No meio dessas opções, Haddad trabalha de forma séria.

DO DEPUTADO ESTADUAL ÊNIO TATTO (PT-SP), sobre as possíveis candidaturas de Datena, Russomanno e João Dória Jr. à Prefeitura de São Paulo, em 2016


CONTRAPONTO

Robin Wood da selva

Governadores da Amazônia se reuniram em Manaus para discutir pautas de interesse da reunião.
O governador do Acre, Tião Viana (PT), falou da existência de um fundo internacional de R$ 5 bilhões disponíveis para projetos de meio ambiente.
Em seguida, Pedro Taques (PDT) enalteceu a grande produção de soja, peixes e outros bens no Mato Grosso.
O maranhense Flavio Dino (PC do B), último a tomar a palavra, fez troça:
— Tião, o dinheiro do fundo para cada Estado da Amazônia aumentou. Depois de falar de tanta riqueza, Pedro Taques não está precisando de mais nada, não.