Concessão de aeroportos em SP deve ter taxa de retorno maior que a federal

Por Painel

NATUZA NERY (interina)

Na pista O governo de São Paulo oferecerá uma taxa de retorno maior que a estabelecida pelo governo Dilma para o leilão de concessão dos cinco aeroportos regionais que lançará em outubro o primeiro do gênero no Estado. A taxa prevista pelos paulistas é de 9%, contra 8,5% fixados pelo Ministério da Fazenda para os quatro terminais nacionais. Na avaliação do Palácio dos Bandeirantes, o de Jundiaí, na região de Campinas, deve ser o mais atrativo do bloco.

Pregão O governo aposta na forte movimentação de táxi aéreo e jatinhos para alavancar a receita do Estado.

Não tripulado A Agência Nacional de Aviação Civil irá regulamentar este ano o uso comercial de drones no país. O órgão abrirá consulta pública nos próximos dias.

Ideia fixa Aliados de Geraldo Alckmin já pensam na renovação das concessões de rodovias em 2018 como mais um ativo para a candidatura presidencial do tucano.

Sem parar O governo pressionará pela redução do valor do pedágio nas negociações para a renovação dos atuais contratos de concessão —a cobrança causa desgaste político ao tucano em SP.

Em obras A cúpula do governo federal tem chamado a Operação Lava Jato de “desastre internacional” por reduzir a participação de empreiteiras brasileiras em negócios fora do país. “Os chineses vão nos engolir na África”, disse um ministro de Dilma.

Nas alturas O Credit Suisse foi chamado pelo Instituto Lula para fazer uma avaliação sobre a política fiscal do governo. Analistas do banco indicaram que a equipe econômica de Dilma não conseguirá cumprir a meta de 1,1% de superavit primário neste ano.

Pé no chão Na exposição, foi dito que é mais importante ter uma meta que feche do que um número inatingível.

Terceiro… Dilma vai começar um road show pelo Nordeste nas próximas semanas para tentar recuperar a popularidade perdida. “Em ritmo de campanha”, segundo um auxiliar, a presidente turbinará a divulgação de programas do governo.

… turno A ação será casada com viagens de Lula pela região. O itinerário deve começar por Bahia, Ceará e Piauí, governados pelo PT.

Na fogueira A CPI da Petrobras quer marcar, na volta do recesso, o depoimento do delator Julio Camargo e de um de seus filhos. O empresário acusa Eduardo Cunha (PMDB-RJ) de ter recebido US$ 5 milhões em propina.

Avatar 1 O autor do requerimento, já aprovado, é Celso Pansera (PMDB-RJ), apontado por Alberto Youssef como “pau mandado” do presidente da Câmara para constranger a família do doleiro.

Avatar 2 Pansera também requisitou à CPI a lista de policiais federais que tocam a Lava Jato, o que foi visto pelos investigadores como uma tentativa de intimidação.

Novela O deputado nega proximidade com Cunha e não cita suspeita específica que justifique a convocação do filho de Camargo para depor na comissão. “Há muitos laços de família nesse caso. Vamos escutar o que ele tem a dizer”, declarou.

Ventilador Ao discutir as acusações de Camargo na quinta-feira com seus aliados, Cunha disparou: “É um absurdo! Já estão fazendo isso com você, Renan. E vão fazer isso com você também, Michel! Vão querer arrastar você para a lama.”

Furacão O vice Michel Temer logo cortou o presidente da Câmara: “Comigo, não!”.

apode1907painel

‌Explode coração Desafeto de Cunha, Silvio Costa (PSC-PE) não gostou do desempenho do rival no pronunciamento de sexta na TV. “Ele foi tão articulado que me fez lembrar o cigano Igor, aquele da novela das oito.”


TIROTEIO

O PMDB não fez uma fusão com o PT, fez uma aliança. Pode haver uma saída dela, mas pela porta da frente e sem agressão.

DO LÍDER DO PMDB NO SENADO, EUNÍCIO OLIVEIRA (CE), sobre a possibilidade de rompimento da aliança entre os dois partidos, evocada por Eduardo Cunha.


CONTRAPONTO

Atalho religioso

Ao assinar um de seus primeiros convênios com a Obra Social Dom Bosco, entidade liderada pelo padre Rosalvino, o então governador de São Paulo Mario Covas disse a seu vice, Geraldo Alckmin:

—Esse vai virar santo logo!

Alckmin, que conhece os meandros da Igreja Católica, argumentou que não seria assim tão fácil.

—Governador, são necessários quatro passos até a santificação… Ele precisa já ter se tornado beato, depois é comprovado o milagre…

Covas olhou desconfiado e encerrou o assunto:

—O Rosalvino vai virar direto!