Congresso descarta prorrogar até 2023 Desvinculação de Receitas da União

Por Painel

Corpo mole A cúpula do Congresso descarta nos bastidores a prorrogação até 2023 da DRU (Desvinculação de Receitas da União), que permite gasto livre de parte das receitas do governo. Parlamentares só admitem ceder ao Planalto aos poucos, estendendo a medida por um ou dois anos. Os comandos da Câmara e do Senado não têm pressa: trabalham com a aprovação do texto, possivelmente, em 2016. Assim, a DRU perderia validade e só voltaria a valer quando a nova medida entrar em vigor.

Bom para… Apesar de ter dado 100% de seus votos a favor da redução da maioridade penal, o PRB já fala em mudar de posição na segunda votação, caso o governo consiga acordo para a alteração no ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente).

… ambas as partes O bloco liderado pela sigla tem 38 deputados, o suficiente para alterar o cenário —na votação em primeiro turno, a PEC foi aprovada com uma sobra de apenas 15 votos.

Vai que vai Marcada por idas e vindas, a votação da reforma política na Câmara, semana passada, terá as emendas votadas na terça haja ou não acordo entre as siglas.

É o fim A expectativa do presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), de acordo com interlocutores, é que a reforma política acabe de ser votada nesta semana aconteça o que acontecer, para abrir a pauta a outros assuntos.

apode1307painell

Cobertura O deputado Chico Alencar (PSOL-RJ) ironiza o limite imposto pela Câmara aos gastos de campanha —70% do valor da mais cara na última eleição. “É como decidir que ninguém pode fazer edifício com mais de 140 andares, justificando que é menor que o Burj Khalifa, em Dubai, com 163 andares.”

Lado a lado Dirigentes do PSB estranharam a declaração de Marta Suplicy, de que ainda não definiu sua filiação —apesar da data agendada, em 15 de agosto. Avaliam que ela tenta se aproximar do PMDB para se preparar em um cenário do fim do governo Dilma Rousseff.

‘Pindura’ Com o agravamento da crise política, o ex-presidente Lula demonstrou a aliados uma nova onda de irritação com o governo Dilma. O cacique petista passou a colocar toda a deterioração do ambiente político “na conta” de sua sucessora.

Fica em casa Lula diz, segundo interlocutores, que a presidente conduziu o governo para a piora do ambiente político a tal ponto que não consegue “sair às ruas” para retomar suas atividades e tentar recuperar a imagem do projeto petista.

Perna curta O ex-presidente afirmou a esses aliados, ainda, que o principal erro da presidente Dilma foi ter dito durante a campanha eleitoral que, num eventual segundo mandato, não promoveria um ajuste fiscal.

Não se mexe Com acareações marcadas para esta semana com o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa e com o empresário Julio Camargo, o doleiro Alberto Youssef não mudará uma vírgula das versões que já deu.

Veja bem A defesa não vê como possibilidade que o acordo de delação seja anulado. “A gente já previa essa possibilidade [de acareações], o que tem ocorrido não são contradições gritantes, são divergências de ponto de vista”, diz um dos advogados.

Da base… Petistas e advogados reagem às manifestações nos autos do juiz Sergio Moro, responsável pela Lava Jato. “Ele agora quer violar um principio constitucional da liberdade de expressão ao censurar a fala da presidente da República”, diz Paulo Teixeira (PT-SP).

… e da defesa “O que tenho observado é que a defesa, quando fala, incomoda os ouvidos do juiz”, diz Nélio Machado, que defende Fernando Soares, o Baiano, operador do PMDB no esquema segundo o Ministério Público.


TIROTEIO

A situação está tão descontrolada que uma advogada é convocada para depor na CPI por exercer sua profissão e todos acham normal

DE JOSÉ LUÍS OLIVEIRA LIMA, advogado do ex-ministro José Dirceu, sobre a convocação da advogada Beatriz Catta Preta para depor na CPI da Petrobras


CONTRAPONTO

Cada um puxa o que pode

No encontro de peemedebistas no Rio, na última sexta-feira, enquanto o prefeito da cidade, Eduardo Paes, e o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), faziam uma apresentação, o auditório ficou lotado.

Com todas as cadeiras tomadas, ao final das falas de Paes e Cunha ambos ficaram sem cadeira para sentar-se —os assentos haviam sido tomados por outras pessoas.

Paes conseguiu outro lugar para se acomodar, mas Cunha ficou de pé. Ao lado de Baleia Rossi (PMDB-SP), e já se levantando para ceder o lugar, o deputado estadual Waguinho (RJ) citou um velho ditado para justificar-se:

— Quem não puxa saco, puxa carroça.