Empresas redigem emendas de deputados a projeto de desonerações

Por Painel

Inseminação artificial Empresas privadas e entidades ligadas à indústria redigiram e assinaram emendas que foram apresentadas por pelo menos três deputados na Câmara para beneficiar seus setores no projeto que revê as desonerações. Os deputados “barriga de aluguel” são Tenente Lúcio (PSB-MG), Vanderlei Macris (PSDB-SP) e Jerônimo Goergen (PP-RS), que apresentaram emendas de empresas de call center, têxtil e de máquinas. Os arquivos eletrônicos protocolados revelam os verdadeiros autores.

X

Alô! Diretor institucional da empresa de call center Contax, Wanderley Mariz é o autor da emenda de Tenente Lúcio para excluir o setor do aumento de impostos.

Costura O assessor da Abit (Associação Brasileira da Indústria Têxtil) João Paulo Barroso assina a emenda de Vanderlei Macris para manter em 1% a alíquota da indústria têxtil e calçadista.

Engrenagem Presidente da frente da Indústria de Máquinas e Equipamentos, Jerônimo Goergen fez emenda para excluir o setor da medida, assinada por Hiroyuki Sato, diretor da Abimaq.

Tanto faz O arquivo não tem nem o nome do parlamentar –só uma assinatura genérica “deputado federal”.

FullSizeRender (11)

Caça ao tesouro Deputados relatam uma “corrida” de lobistas em busca de parlamentares que apresentassem emendas para reduzir a tributação de vários setores.

Outro lado 1 Tenente Lúcio afirmou que propôs o benefício aos call center para garantir empregos em sua região (Uberlândia) e que pediu ajuda à Associação Brasileira de Telecomunicações.

Outro lado 2 Macris afirmou que debateu a elaboração da emenda com a Abit, mas declarou não saber se a entidade redigiu o texto.

Outro lado 3 Goergen diz que a Abimaq fez um pré-projeto, que foi finalizado por sua equipe. “Juízes, promotores, bolacha Maria… Não vejo problema em representar setores da sociedade”, diz.

Trégua Preocupado com as críticas de Lula a Dilma Rousseff, o Planalto procurou o ex-presidente. Edinho Silva (Comunicação Social) se encontrou nesta quarta com o petista, em São Paulo.

Mulher sapiens Assessores querem dar a Dilma um diagnóstico preciso sobre os motivos da irritação de Lula.

Em caixa Já estão depositados numa conta do Supremo Tribunal Federal R$ 77,7 milhões repatriados pela Lava Jato do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa.

Pibinho O lançamento do Plano Nacional de Exportações nesta quarta-feira estava tão esvaziado que 40 cadeiras foram retiradas do salão nobre minutos antes do ato.

Inverno O Planalto identificou que Renan Calheiros (PMDB-AL) reduziu o tom: trocou críticas a Dilma por reparos genéricos à gestão. Ainda não há espaço, porém, para recompor a relação com o presidente do Senado.

Plim plim Eduardo Cunha (PMDB-RJ) fará pronunciamento em rede nacional de TV, provavelmente em 15 de julho, com balanço dos projetos aprovados na Câmara no primeiro semestre.

Longo prazo O Ministério do Planejamento se reúne nesta quinta com cerca de 40 sindicatos para apresentar uma proposta de reajuste salarial do funcionalismo para os próximos cinco anos.

Tensão O governo quer evitar um aumento de sua folha de pagamento acima da variação do PIB, mas teme uma onda de greves. Uma das que preocupam é a ameaça de paralisação do INSS.

Vai que O PT teme que o cerco do Ministério Público a Gabriel Chalita, secretário de Educação e potencial vice de de Fernando Hadad em 2016, faça Paulo Skaf (PMDB) pleitear ser candidato a prefeito.


TIROTEIO

Essa dieta Ravenna deve ter efeitos colaterais terríveis. Mandioca, mulher sapiens. Lula acertou: Dilma se afogou no volume morto.

DO DEPUTADO FEDERAL MARCUS PESTANA (PSDB-MG) sobre discurso em que a presidente saudou a mandioca e a evolução humana para “mulheres sapiens”.


CONTRAPONTO

Loro quer soro

Ao discursar na festa de 60 anos do Albert Einstein, no início do mês, Geraldo Alckmin contou uma história sobre o hospital, vizinho ao Palácio dos Bandeirantes.
–A Lu tinha um papagaio, que um dia sumiu. Aí ligaram do hospital dizendo que ele tinha chegado lá.
A primeira-dama, Lu Alckmin, ouvia atenta.
–Vejam que até o papagaio foi inteligente e voou para o Einstein! –concluiu o governador.
Enquanto o tucano voltava para seu lugar à mesa, a jornalista Sandra Annenberg, mestre de cerimônias da noite, quis saber se a ave “ficou bem” após o incidente.
Coube a Lu acenar positivamente, para riso da plateia.