Críticas de Lula a Dilma são reação a tentativa de desgastá-lo, dizem aliados

Por Painel

Sem pai nem mãe Aliados de Lula atribuem as críticas e reclamações do ex-presidente dirigidas a Dilma Rousseff como sinal de “indignação” com a tentativa do governo de se descolar das acusações de corrupção que resvalam no ex-presidente na Operação Lava Jato. Para os lulistas, o Planalto tenta restringir a responsabilidade pelos desvios ao governo anterior para evitar a contaminação. Interlocutores dizem que o ex-presidente está “órfão” e que sua sucessora não protege quem a colocou lá.

Massacre da… Em debate nesta segunda-feira em São Paulo, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), classificou as investigações da Lava Jato como um “filme de terror” cujo final ainda é desconhecido.

… serra elétrica Cunha criticou “exageros” do juiz Sergio Moro e chamou de “absurda” a prisão de Marcelo Odebrecht, presidente da empreiteira que leva o nome da família, e dos demais executivos na semana passada.

Lupa Enquanto os advogados da empresa já impetraram habeas corpus para três dos diretores presos, o de Marcelo ainda não tinha ficado pronto. A fundamentação da defesa do presidente é diferente da dos outros.

Gaveta 1 Em campanha para a sucessão de Rodrigo Janot, o subprocurador Carlos Frederico Santos divulgou na intranet do Ministério Público Federal uma plataforma considerada crítica ao trabalho do procurador-geral da República na Lava Jato.

Gaveta 2 Propõe “evitar iniciativas temerárias de investigações originárias procedidas perante o Supremo Tribunal Federal cujo conteúdo probatório inicial seja duvidoso, dando preferência ao seu fortalecimento no âmbito do Ministério Público”.

apode2306painell

Missa Em sua longa fala no lançamento do plano de agricultura familiar, Patrus Ananias, após citar vários trechos da última encíclica do papa Francisco, disse que as medidas fortalecem os pequenos produtores “em busca da terra prometida”.

O Levy… O secretário municipal de Finanças de São Paulo, Marcos Cruz, avisou a Fernando Haddad que deixará a pasta em um mês, alegando motivos pessoais.

… do Haddad O economista, ex-executivo da McKinsey, deve voltar à iniciativa privada depois de um período de quarentena. Seu substituto será um nome técnico, escolhido pelo prefeito sem mediação política.

Legado Comparado ao ministro da Fazenda pelo perfil fiscalista, Cruz promoveu um ajuste nos gastos de R$ 4,4 bilhões até 2014. Ajudou ainda na renegociação do indexador da dívida, que deve vigorar a partir de 2016.

Inchaço Já Joaquim Levy, prestes a completar seis meses no posto, ficou surpreso com levantamento de que há 250 servidores ligados a seu gabinete no ministério.

Caged Em época de ajuste fiscal, o ministro pretende reduzir esse time pela metade –e quer fazê-lo em breve.

Na hora A equipe econômica ficou tensa com a movimentação do Planalto e de senadores para antecipar a mudança da meta fiscal. Levy admite que isso será discutido, mas alega que o cenário não está claro para uma projeção de superávit realista.

Pé ante pé Ministros do TCU que apontaram irregularidade do governo nas “pedaladas” não se convenceram de que Arno Augustin foi o único responsável pela manobra, como relatou em nota antes de sair do Tesouro. Prevalece a disposição de punir também Guido Mantega.

Tamo junto Os governadores Luiz Pezão (RJ) e Paulo Hartung (ES), ambos do PMDB, fecharam questão a favor do projeto do senador tucano José Serra (SP) que altera o modelo de partilha para a exploração do pré-sal. O governo é contra a mudança.


TIROTEIO

Ex-presidentes como Clinton e Gore agem como Lula: defendem o comércio exterior e as empresas de seu país. Por que essa cobrança?

DA SENADORA GLEISI HOFFMANN (PT-PR), sobre as investigações a respeito das relações entre Lula e empresas como Odebrecht.


CONTRAPONTO

Pretérito imperfeito

O vice-presidente Michel Temer era secretário de Segurança Pública de São Paulo no governo de Franco Montoro, em 1986, quando deixou o cargo para concorrer a deputado federal e integrar a Constituinte.
Na época novato em disputas eleitorais, começou a viajar pelo interior. Ao entrar numa padaria numa dessas visitas, foi prontamente abordado por um funcionário:
–Você não era o Michel Temer? –perguntou o caixa.
Surpreso por ser reconhecido, respondeu de pronto:
–Era!
Depois, ele e correligionário se divertiram com a confusão entre seu nome e o cargo que acabara de deixar.