Com ação em Minas, PF colhe indícios de crimes eleitorais em 2010 e 2014

Por Painel

Próximos capítulos Agentes da Polícia Federal que acompanham as investigações que levaram à prisão do empresário Benedito Rodrigues, o Bené, têm tratado a Operação Acrônimo, deflagrada nesta sexta-feira, como mais um caso com potencial de revelar um grande esquema de corrupção. A partir do material apreendido e dos indícios detectados na apuração, integrantes do órgão já vislumbram caminhos para a comprovação de crimes eleitorais —tanto na campanha de 2010 quanto em 2014.

Poupando… Ministros do PT lamentam que o Planalto tenha se retraído na discussão sobre a reforma política travada no Congresso.

… a voz Alegam que o governo pagou um preço muito alto pela aprovação do ajuste fiscal e perdeu força para interferir no debate sobre o tema, caro aos petistas.

7 x 1 Integrantes do governo já reconhecem a possibilidade de o escândalo de corrupção da Fifa comprovar irregularidades em contratos da Copa do Mundo de 2014 com o poder público.

Querosene Escaldado, um auxiliar de Dilma Rousseff evoca os os desdobramentos da Operação Lava Jato: “Todo mundo pensou que era só a investigação sobre um posto de gasolina”.

apode3005painell

Ecos de 2014 Aécio Neves aproveita o escândalo no futebol para fustigar Dilma: “Dessa vez tenho de concordar com a afirmação da presidente: seu governo é mesmo padrão Fifa, pelo menos no que se refere a corrupção”.

Magna Dilma recebeu convites para dar palestras em universidades americanas durante a viagem oficial aos Estados Unidos, em 30 de junho. O Planalto ainda avalia pedidos e não confirmou a presença da presidente.

Oásis Em tempo de vacas magras, o governo brasileiro tenta reaproximação comercial com o Iraque na área de defesa. Jaques Wagner negocia com o chanceler Ibrahim Al-Jaafari na próxima semana a venda de blindados e caças brasileiros ao país.

Que hora 1 Apesar da defesa da administração de Fernando Haddad, dirigentes petistas e aliados do prefeito se irritaram com Jilmar Tatto, secretário paulistano de Transportes, que disse em entrevista que “o PT ficou velho, mas Haddad não”.

Que hora 2 Dizem que, além de os esforços para mudar a imagem da sigla terem sido ignorados, a tentativa de descolar o prefeito do partido, às vésperas do congresso nacional da sigla, pode criar um ruído na disposição de militantes e dirigentes com a candidatura dele em 2016.

Desigual O PC do B torceu o nariz para a possibilidade de nomeação de Luiz Medeiros (PDT) na Secretaria de Subprefeituras de Haddad. Acha que a nova configuração da pasta tira atribuições da vice, Nádia Campeão.

Por partes O partido, que negocia um nome para substituir o Antônio Pinto na Secretaria de Igualdade Racial, diz que a indicação é parte do acordo de 2012 e não garante apoio ao prefeito em 2016.

Dois em um O governo paulista quer resolver já na segunda-feira a possibilidade de greve de funcionários da CPTM, a empresa de trens do Estado. Acha que se, conseguir uma solução, enfraquece movimento semelhante dos servidores do Metrô.

Mesão Candidatos à presidência do diretório paulistano do PSDB se reuniram na noite de sexta para tentar chegar a um nome de consenso para a eleição, no domingo. O impasse pode levar a um adiamento da escolha.

Juvenil A eleição da presidência da Juventude Tucana também provocou atrito. A chapa vencedora acusa Milton Flavio, atual presidente do diretório, de anular o pleito indevidamente. Ele diz que seu sucessor arbitrará a questão, que está com o departamento jurídico da sigla.


TIROTEIO

A gente só pode encarar a troca do presidente da Embratur como uma homenagem do governo à lealdade da bancada do PC do B.

DO DEPUTADO ORLANDO SILVA (PC do B-SP), sobre a troca de comando na estatal ligada ao Ministério do Turismo, de um nome da sigla por um do PMDB.


CONTRAPONTO

Tudo acabado entre nós

Depois da festa de casamento do ex-deputado Roberto Jefferson (PTB), na manhã desta sexta-feira no Rio de Janeiro, convidados conversaram sobre o processo de fusão do partido do noivo com o DEM, que se estendeu pelos últimos meses.

Diante da constatação de que alguns impasses impediram que as conversas tivessem sequência, Campos Machado, secretário-geral e presidente do diretório paulista, decidiu entrar no clima para comentar a decisão.

—Não dá para dizer que foi um divórcio, porque nunca houve casamento! Mas, sim, estamos desmanchando um namoro…