Teori devolve delação de empreiteiro da UTC a Janot e solicita ajustes

Por Painel

Tente outra vez Teori Zavascki, relator da Lava Jato no STF, devolveu o esperado acordo de delação premiada de Ricardo Pessôa, da UTC, à Procuradoria-Geral da República. O ministro pediu que Rodrigo Janot faça ajustes no termo antes de homologá-lo. A decisão paralisa, por ora, a colaboração do empresário, que deveria depor nesta semana em Brasília. Janot poderá rever cláusulas que preveem benefícios ao delator, assim como exigências sobre informações que ele se compromete a dar à Justiça.

Sem pressa A decisão é considerada “normal” pela força-tarefa da Lava Jato. Teori também havia feito ressalvas ao acordo de delação de Paulo Roberto Costa, homologado depois de ajustes em parte das cláusulas.

Rodízio Quando deixar a presidência do STF, em setembro de 2015, Ricardo Lewandowski ocupará o lugar de Carmen Lúcia, que assumirá o comando da corte, na Segunda Turma, a tempo de julgar as ações da Lava Jato.

Road trip Leo Pinheiro, da OAS, vai viajar de carro de São Paulo a Brasília para prestar depoimento na CPI da Petrobras, na terça-feira.

Waze O empreiteiro enviou ofício à Justiça para informar as rodovias que vai percorrer e avisou que pernoitará em Uberlândia (MG).

Logo ela Depois de “A origem”, “Que país é esse”, “My way” e “Juízo Final”, petistas lamentam que a 13ª fase da Lava Jato, deflagrada na quinta-feira, não tenha sido batizada. Acham ruim a associação com o número da sigla.

Criação… A cúpula do PMDB e a direção da Câmara estão incomodadas com um grupo de deputados que adotou a praxe de apresentar emendas como “contrabando” às medidas provisórias.

… de jabutis Os campeões do expediente, segundo dirigentes da Casa, são o trio Manoel Júnior (PMDB-PB), Wellington Roberto (PR-PB) e João Bacelar (PR-BA).

Pedreira O PMDB trava uma queda de braço com a Vale pela troca da cúpula do DNPM (Departamento Nacional de Produção Mineral).

Fornalha Peemedebistas de Minas querem emplacar o superintendente local, Celso Garcia, no comando do órgão, mas a mineradora prefere a manutenção de Sérgio Dâmaso de Sousa no posto.

O general… Parte do núcleo do Planalto já começa a dizer que não é imprescindível atingir a meta revista de superávit primário de 1,1% do PIB perseguida por Joaquim Levy (Fazenda).

… está só Para os ministros da área política, seria suficiente, por exemplo, entregar 1% e mostrar ao mercado que o governo perseguiu “furiosamente” a meta.

Sucatão 1 O atraso de Nelson Barbosa (Planejamento) no anúncio do corte do Orçamento se deveu a uma pane no ar-condicionado do avião da FAB que o levava de São Paulo a Brasília.

apode2405painel

Sucatão 2 A cabine se encheu de fumaça, os passageiros entraram em pânico e o piloto teve de reduzir a altitude e a velocidade até chegar com a aeronave ao destino.

Tudo azul O governo orientou seus ministros a manterem discurso otimista em relação ao bloqueio do Orçamento. Antes mesmo do anúncio, os ocupantes da Esplanada já repetiam que dariam “total apoio” à medida.

Fla x Flu 1 Auxiliares de Geraldo Alckmin demonstraram irritação com o fato de Fernando Haddad ter culpado o governo do Estado pela falta de creches na capital.

Fla x Flu 2 Lembravam que a ação contra a alta do IPTU foi bancada por Paulo Skaf, do PMDB, sigla do secretário de educação do petista, Gabriel Chalita. As diferenças se amenizaram na sexta e até uma pendência financeira foi sanada para que convênios fossem firmados.


 TIROTEIO

Apertem os cintos: Levy sumiu! E levou com ele a verba da educação, da saúde, do PAC, da segurança, do Minha Casa Minha Vida…

DE BRUNO ARAÚJO (PSDB-PE), líder da minoria na Câmara, sobre a ausência do ministro da Fazenda do anúncio dos cortes de R$ 69,9 bi ao Orçamento.


CONTRAPONTO

Promessa é dívida

Antes de tomar um café com convidados no Palácio dos Bandeirantes, Geraldo Alckmin lembrou a época em que Mario Covas, então governador, vivia agendando encontros com políticos e eleitores em eventos na rua –desses que são marcados para nunca acontecer.
–Vamos tomar um café um dia desses –dizia.
Seu assessor, entretanto, decidiu tomar nota das promessas. Um dia em que Covas estava com a agenda vazia, anunciou que os convidados haviam chegado.
–Que convidados? –perguntou o tucano.
–Os do café! — respondeu o secretário, que o levou para as dezenas de conhecidos que haviam sido chamados.