Dono da UTC não expõe Odebrecht e frustra força-tarefa da Lava Jato

Por Painel

En passant Contrariando expectativas da força-tarefa da Operação Lava-Jato, Ricardo Pessoa, da UTC, só cita a Odebrecht uma vez, e de forma lateral, no termo de delação premiada que selou com o Ministério Público Federal. Os investigadores esperam que Pessoa estabeleça um elo entre as duas construtoras nos desvios da Petrobras. Apesar da frustração inicial, eles vão tentar comprovar o vínculo nos depoimentos que o empreiteiro dará caso a delação seja homologada pelo STF.

Cabo… Opositores do nome de Luiz Fachin estão trabalhando para esvaziar o plenário do Senado nesta terça-feira em uma tentativa de fragilizar a votação do jurista para o Supremo.

… de guerra Já o presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL), insistiu perante interlocutores em dizer que vai submeter a indicação a voto mesmo que o quorum não esteja elevado.

Gelatinoso O alvo do grupo anti-Fachin são senadores de oposição e independentes que penderam para o sim nos últimos dias.

Vai que Aliados de Dilma Rousseff não acreditam em debandada, mas tratam cada voto como decisivo e pediram que a base desmarque compromissos externos.

Minha gente Governistas ficaram preocupado com a ausência de Fernando Collor (PTB-AL) na reunião de Michel Temer com líderes do Senado nesta segunda-feira. Receiam que os nove senadores comandados por ele votem contra o indicado ao STF.

No escuro Dilma cobrou de Temer nesta segunda-feira detalhes sobre o relatório de Leonardo Picciani (PMDB-RJ) ao projeto que revê as desonerações. Segundo participantes, a presidente disse ser inadmissível que o governo não conheça o texto do deputado às vésperas da votação.

Pé na tábua A CUT vai se posicionar contra, caso Dilma de fato vete a mudança do fator previdenciário e não apresente uma alternativa à proposta imediatamente. A central quer uma tramitação rápida do projeto no Senado.

Farinha pouca O bloqueio do Orçamento nem foi anunciado e os ministros já abriram guerra para tentar empurrar os cortes para seus colegas. Não existe solidariedade orçamentária, admite um membro do alto escalão.

Perdidos Líderes da oposição têm se queixado de falta de articulação entre os partidos para a chegada da marcha do Movimento Brasil Livre a Brasília, na próxima quarta, quando parte do PSDB quer apresentar o pedido de impeachment de Dilma.

O cara Reclamam que não sabem ainda o tom que devem adotar. Cobram de Aécio Neves, presidente tucano, nova rodada de conversas para afinar o discurso.

De frente A relação entre o comando de PPS e PSB na Bahia tem preocupado dirigentes das duas siglas, em processo de fusão. No Estado, o PSB é aliado do PT. Em Salvador, o PPS é base do prefeito ACM Neto (DEM).

De molho Também está em compasso de espera, segundo o senador José Agripino, presidente do DEM, a fusão do partido com o PTB. Ele diz que os aliados não demonstram determinação de chegar ao entendimento.

FullSizeRender (9)

Tem graça? O site do PT usa foto da mão esquerda de Lula, que perdeu um dedo em acidente, para substituir o número 4 nos avisos de Erro 404 quando uma página não é encontrada.

Visitas à Folha Fernando Haddad, prefeito de São Paulo, visitou ontem a Folha, onde foi recebido em almoço. Estava acompanhado de Leila Suwwan, secretária-adjunta de Comunicação.

Rodrigo Galindo, presidente da Kroton Educacional, visitou ontem a Folha. Estava acompanhado de José Schiavoni, assessor de imprensa.


TIROTEIO

Não existem deputados de primeira e de segunda classe. A decisão do PSDB de indicar Coronel Telhada precisa ser respeitada.

DO DEPUTADO CAMPOS MACHADO (PTB-SP), presidente da sigla no Estado, sobre indicação do tucano à Comissão de Direitos Humanos da Assembleia.


CONTRAPONTO

Crise existencial

Deputado de primeiro mandato, Max Filho (PSDB-ES) encaminhou consulta ao Conselho de Ética para saber se pode recomendar candidatos a emprego em empresas ou encaminhar pedidos de eleitores, como pleitos de transferência de local de trabalho e atendimento no SUS.

—Isso pode configurar desvio ético? —questiona.

Em seguida, ele explica a reflexão:

—Os parlamentares são assediados diariamente por eleitores. Os pleitos de emprego e apresentação para vaga de emprego são os mais comuns. Na falta de regras claras, essas demandas situam-se numa zona cinzenta.