Petrobras pede a Janot que investigue vazamento de áudios enviados a CPI

Por Painel

CPI na berlinda A equipe jurídica da Petrobras foi a Rodrigo Janot na manhã desta quinta-feira para pedir que a Procuradoria-Geral da República investigue o vazamento de atas e gravações da estatal enviadas à CPI da Câmara no dia 4. A justificativa é que a divulgação desses documentos expõe decisões estratégicas da companhia, principalmente relativas a formação de preços e regras de licitações. Janot sinalizou que considera a investigação importante e que deve acatar o pedido da estatal.

Em casa A petroleira decidiu ainda abrir um procedimento interno para investigar funcionários que também possam ter repassado informações de caráter sigiloso.

Faísca A apuração da PGR sobre os vazamentos, se levada a cabo, coincidirá com um momento de tensão entre o procurador e integrantes da CPI, que recebeu requerimento para convocá-lo a depor.

Quem manda Dilma tem demonstrado irritação com subordinados que passaram a defender a revisão da regra segundo a qual é obrigatória a participação da Petrobras em blocos do pré-sal.

Santinha No voo para Pernambuco nesta quinta-feira, a presidente criticou Magda Chambriard, da ANP (Agência Nacional de Petróleo), que defendeu a queda da exigência —da qual a própria Dilma foi uma das artífices, como ministra de Lula.

Apelo No mesmo voo, Dilma perguntou a aliados se era possível derrubar no Senado a emenda que muda o fator previdenciário. O prognóstico foi pessimista e prevaleceu o entendimento de que a presidente precisará vetar.

Estamos… O vice Michel Temer quer fazer já na semana que vem a primeira reunião do fórum que vai discutir opções ao fim do fator previdenciário, para tentar desarmar o avanço da votação da medida no Congresso.

… trabalhando O senador Paulo Paim (PT-RS) e o deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP), que defendem a mudança no cálculo das aposentadorias, devem ser chamados para compor o grupo.

Enrolação Centrais sindicais estão céticas quanto à ação do governo. Dizem que, antes do 1º de Maio, a fórmula 85/95, que agora a petista promete vetar, havia sido oferecida pelo próprio governo como alternativa ao fator.

Será? Emparedado pela dissidência de bancadas inteiras em votações estratégicas nas últimas semanas, o Planalto promete cobrar dos líderes da base uma posição firme de sua coalizão no Congresso daqui para a frente.

Ser ou não ser Aloizio Mercadante (Casa Civil) e Michel Temer procuraram Carlos Lupi (PDT) para pedir que a sigla decida, em reunião nesta sexta, se o governo pode contar com seus votos.

Assopra Apesar da ameaça, o governo admite a possibilidade de pedir aos deputados do PDT um novo nome para o Ministério do Trabalho. O consenso é que Manoel Dias não dialoga com a bancada e, por isso, deve cair.

Roupa suja Na próxima segunda, líderes de partidos aliados jantam no Palácio do Jaburu para discutir as traições nas votações.

Erosão Aliados que voaram com a presidente disseram a ela que Eduardo Cunha (PMDB-RJ) começa a se desgastar entre seu amplo eleitorado da Câmara por enfrentar dificuldades em entregar suas promessas de campanha. Dilma não reagiu.

apode1505painel

‌Estilos Enquanto a trilha sonora escolhida para a entrada de Fernando Henrique Cardoso, 83, no prêmio Personalidade do Ano, foi um erudito Heitor Villa-Lobos, Bill Clinton foi saudado ao som de “Don’t Stop”, da banda setentista Fleetwood Mac.

Visita à Folha Sérgio Moro, juiz federal, visitou ontem a Folha, a convite do jornal, onde foi recebido em almoço.


TIROTEIO

A proposta está desconectada da sociedade. Aumenta a influência do poder econômico, restringe participação e enfraquece partidos.

DO DEPUTADO ORLANDO SILVA (PC do B-SP), sobre relatório apresentado por Marcelo Castro (PMDB-PI) na comissão especial de reforma política da Câmara.


 

CONTRAPONTO

Olha o leite

Organizador de um seminário na manhã seguinte à festa que premiou os ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso e Bill Clinton, João Doria Jr., do Lide, ouviu protestos pelo horário do evento.

—Na minha terra a gente diria que isso é horário de leiteiro —brincou Geraldo Alckmin.

Na abertura do seminário, Doria fez menção à frase e passou a palavra a FHC. Incumbido de apresentar o correligionário, o ex-presidente aproveitou o gancho:

—O Geraldo também acorda cedo e brinca que é leiteiro. Mesmo sendo leiteiro, governa com êxito o Estado mais industrial do país.