Controladoria de Haddad quer fazer ‘pente-fino’ em subprefeituras

Por Painel

Olho no micropoder A administração Fernando Haddad vai direcionar os cem cargos de auditor recém-criados na Controladoria-Geral do Município para fazer um pente-fino em contratos das subprefeituras da capital paulistana. O chefe da CGM, Roberto Porto, considera que as investigações sobre a máfia do ISS na Secretaria de Finanças deixaram sob controle a situação na pasta, e prefere reforçar as apurações nos órgãos descentralizados –parte deles entregue às indicações políticas de vereadores.

Torneira A equipe de Porto começa a levantar informações para um balanço de dois anos de existência. Cálculos iniciais mostram que R$ 80 milhões foram recuperados pela prefeitura a partir de ações do órgão no período.

De fora A controladoria também firmou um acordo com o GovLab, da NYU (Universidade de Nova York), para desenvolver um sistema de divulgação de todas as etapas de contratações da administração. A expectativa é que o processo dure dois meses.

Tudo junto… Durante a semana, auxiliares de Geraldo Alckmin demonstraram receio com a possibilidade de o tucano ser arrastado para o meio da crise de Beto Richa.

… e misturado Nesta sexta, em entrevista, o paranaense deu razão ao temor ao citar o paulista e dizer que os dois são alvos da oposição.

Suspeição O deputado estadual Coronel Telhada (PSDB-SP), cuja indicação à comissão de Direitos Humanos criou polêmica, é investigado pelo colegiado por declarações separatistas.

Mão de Deus A comissão, que elege seu presidente na próxima semana, é dominada pela bancada evangélica da Assembleia, que indicou 6 dos 11 membros.

DNA Dois deles são herdeiros de líderes religiosos: Marta Costa é filha de José Wellington, da Convenção Geral das Assembleias de Deus, e André Soares, de R.R. Soares, da Igreja Internacional da Graça de Deus.

Sem… Lula avisou a dirigentes do PT que vai tratar pessoalmente das eleições municipais de 2016 com potenciais candidatos e aliados.

… delegar O ex-presidente quer evitar que o partido se fragilize ainda mais na formação de alianças em cidades estratégicas.

Corrida O Planalto marcou para quinta-feira (14), às 11h, o lançamento do pacote de concessões. Ministros da área de infraestrutura foram convocados para preparar apresentações.

Cofre Auxiliares de Dilma voltaram a estimar que o programa pode superar R$ 150 bilhões em investimentos. O montante dependerá do apetite dos concessionários.

Segurança Os ministros revisaram a lista de obras. A ideia é dar prioridade àquelas que tiverem pelo menos três PMIs (Propostas de Manifestação de Interesse).

Fluxo Depois da aprovação da primeira parte do ajuste, articuladores do governo avisaram a deputados que as nomeações de seus afilhados foram liberadas pela Casa Civil e dependem só da assinatura dos ministros.

apode0905painell

Indie O arquivo digital do requerimento apresentado por Paulinho da Força (SDD-SP) para pedir a convocação de Rodrigo Janot à CPI tem como autor “Pete Doherty”, vocalista da banda britânica The Libertines.

Pesos O chanceler Mauro Vieira irá à Comissão de Relações Exteriores do Senado no dia 28. Será questionado por não ter recebido Lilian Tintori e Mitzy Capriles, mulheres de políticos de oposição a Nicolas Maduro presos.

Medidas No mesmo dia em que as mulheres de Leopoldo López e Antonio Ledezma pediram audiência ao Itamaraty, Vieira recebeu o comissário-geral do povo da Venezuela, Tereck Willian Saab.


TIROTEIO

Isso não é um ajuste. É um achaque fiscal, fruto de um governo herdeiro dos próprios problemas e de suas mentiras eleitorais.

DE BETO ALBUQUERQUE, vice-presidente do PSB e candidato a vice em 2014, sobre posição da sigla contra a aprovação das medidas provisórias do ajuste.


CONTRAPONTO

Olho gordo

O governador Geraldo Alckmin ofereceu durante a semana um café da manhã à bancada paulista do Congresso. Queria discutir temas de interesse do Estado, que devem ser tratados no Legislativo neste ano.

Como os assuntos passaram pela situação econômica do país, o deputado Floriano Pesaro (PSDB), que integra o secretariado de Alckmin, voltou-se para Jorge Tadeu Mudalen (DEM) e comentou:

—A situação está crítica. Estamos sem recursos!

O democrata olhou a mesa à sua frente e respondeu:

—Então deixe eu aproveitar este café da manhã, que é o máximo que vou conseguir por aqui!