Grandes empreiteiras ignoram novo pacote e estudam devolver concessões

Por Painel

Inapetência privada Enquanto o governo finaliza o porte e as regras do pacote de concessões, empresários do setor de infraestrutura demonstram pouco apetite em aderir ao programa. Na direção oposta, grandes empreiteiras analisam devolver concessões e PPPs (Parcerias Público-Privadas) nas quais entraram e pelas quais não têm recebido dos governos federal e estaduais. A dificuldade de obter novos financiamentos nos bancos públicos também seria um fator a afastar novos investimentos.

Sarrafo baixo Para se contrapor à eventual ausência das grandes empresas do setor, enredadas pela Lava Jato, o governo conta com pequenas e médias construtoras, que demonstraram interesse em se associar para participar das concessões.

Sem festa A expectativa é de lançamento dia 14, mas ainda há detalhes a acertar. Dilma Rousseff avisou aos ministros que poderá convocar novas reuniões sobre o pacote no fim de semana —inclusive no Dia das Mães.

Prato frio Quase metade dos deputados do PP se recusou a aprovar o ajuste fiscal para se vingar de Luiz Sérgio (PT-RJ). Reclamaram que o relator da CPI da Petrobras “fustigou” a sigla na oitiva de Paulo Roberto Costa.

Mutação… A oposição não tem mais esperanças de derrubar os demais pontos do ajuste fiscal de Dilma, mas vai expor ao máximo o PT para tentar cristalizar o desgaste do partido com sua base.

… genética PSDB e DEM acham que as medidas amargas na economia são um passo importante para fragilizar o DNA social do PT e encerrar o domínio da sigla nas classes de renda mais baixa.

Porta aberta Depois de garantirem sete votos do PSB a favor do ajuste, o líder José Guimarães (PT-CE) e Aloizio Mercadante (Casa Civil) tentarão convencer esses deputados a compor uma dissidência informal pró-governo.

Pior do que tá… Líderes do PR pediram que Tiririca (SP) votasse pelo ajuste. “Não posso! Como fica minha imagem perante a população?”, questionou o deputado.

Varejo Michel Temer recebeu na quinta-feira até o líder do PHS, Marcelo Aro (MG). Convenceu quatro dos cinco deputados da sigla a apoiar o governo na votação dos destaques do pacote econômico.

Que tal? Membros do governo consultaram a Força Sindical sobre a possibilidade de Vagner Freitas, presidente da CUT, assumir o Ministério do Trabalho.

Liturgia Paulinho da Força (SD-SP) causou constrangimento ao entregar a magistrados na promulgação da PEC da Bengala as notas de dólares com o rosto de Dilma usadas no ato contra o ajuste.

apode0905painel

Petrodólar As mesmas cédulas foram distribuídas por militantes da Força em uma casa noturna de Brasília na noite anterior. A polícia foi acionada para verificar a circulação de moeda falsa.

Já sabia 1 O procurador da República Vladimir Aras disse em seminário nesta quinta em São Paulo que Alberto Youssef mentiu na primeira delação premiada que fez.

Já sabia 2 Aras, que atuou na apuração do Banestado, declarou: Trabalhei na primeira delação dele e percebe-se que, de fato, ele mentiu.

Veja bem O juiz Fausto de Sanctis, que comandou a Operação Satiagraha, fez ressalvas à delação no mesmo evento. Defendeu o instituto, mas disse que o que o delator fala tem de ser confirmado por outras provas.

Visitas à Folha Paulo Leme, presidente da Goldman Sachs do Brasil, visitou ontem a Folha, a convite do jornal, onde foi recebido em almoço. Estava com Alethea Batista, assessora de imprensa.

Adalnio Senna Ganem, embaixador do Brasil no Panamá, visitou ontem a Folha.


TIROTEIO

O PDT, sim, manteve sua coerência com os trabalhadores. Sempre deixamos nossa posição clara, não enganamos ninguém.

DE CARLOS LUPI, presidente do PDT, sobre a bancada do partido ter votado contra o governo no ajuste fiscal, apesar de controlar o Ministério do Trabalho.


CONTRAPONTO

À deriva

Ao lado de outros senadores, Renan Calheiros (PMDB-AL) recebeu nesta quinta-feira em seu gabinete Lilian Tintori e Mitzy Capriles, mulheres dos oposicionistas venezuelanos Leopoldo López e Antonio Ledezma, que estão presos. Em um momento da conversa, o presidente do Senado fez uma brincadeira —e deu mais um sinal de seu distanciamento do governo.

—Temos uma relação muito boa com a oposição por aqui. Tão boa que em breve eu posso até me filiar a ela.

Aécio Neves (PSDB-MG), que participava do encontro, não perdeu tempo:

—Bem-vindo! Sua ficha já está pronta!