Marta formaliza saída do PT após 33 anos e diz que sigla ‘renega’ princípios

Por Painel

PT Saudações A senadora Marta Suplicy formaliza nesta terça-feira sua desfiliação do PT depois de 33 anos. Na carta em que justifica a saída Marta diz: “No meu sentir, e de toda a nação, os princípios e o programa partidário do PT nunca foram tão renegados pela própria agremiação, de forma reiterada e persistente”. Para se precaver de uma esperada tentativa do partido de reivindicar seu mandato, a senadora afirma que o PT “se afastou completamente” dos princípios que a levaram a ajudar a criá-lo.

O dono Na carta, de quatro páginas, Marta discute a titularidade do mandato ao afirmar que teve em 2010 mais de 8 milhões de votos e, por isso, deve fidelidade primeiro aos eleitores.

Sujeitos ocultos No documento —que será protocolado à tarde, simultaneamente nos diretórios municipal, estadual e nacional do PT e na Justiça Eleitoral— Marta não cita nem Lula nem a presidente Dilma Rousseff.

Intervalo A senadora não anunciará imediatamente seu destino. Ficará sem partido por algum tempo, enquanto prepara sua filiação ao PSB.

Na tela A prefeitura paulistana lança no segundo semestre campanha publicitária de prestação de contas da gestão Fernando Haddad na TV, em paralelo aos eventos do PT com o mesmo objetivo.

Gradual Ainda assim, petistas não esperam que Haddad chegue ao início de 2016 com índice de aprovação muito maior que o atual. “Apostamos na melhora na campanha”, diz um secretário.

apode2804painnel

Repelente O secretário municipal de Saúde de São Paulo, José de Filippi Jr., sumiu da linha de frente dos esclarecimentos sobre a dengue. O adjunto Paulo Puccini tem sido escalado para falar sobre o tema diariamente.

Quatro mãos Para evitar questionamentos, a prefeitura incluiu o TCM na elaboração do modelo de reforma das calçadas, que aproveita atas já existentes em vez de fazer novas licitações.

Dois… Além da proposta de emenda à Constituição que fixa prazo e limite para pagamento de precatórios, a Frente Nacional de Prefeitos pleiteia a criação de linha de crédito para administrações com dívidas maiores.

… em um A ideia é que Estados e municípios que não consigam se adequar à PEC tenham suas dívidas financiadas por bancos públicos ou fundos de pensão e só comecem a pagar em 2021.

Contramão Joaquim Levy (Fazenda), a quem cabe aceitar a fórmula, disse em entrevista ao SBT que o governo deve rever várias modalidades de crédito. Você tem de ajustar a nova realidade.

Corrida… Xodó de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), a reforma política é novo foco da disputa entre Câmara e Senado. Renan Calheiros (PMDB-AL) pode votar projetos antes do mutirão que Cunha marcou para o fim de maio.

… maluca Estão no Senado textos sobre doações de campanhas, coincidência de mandatos e fim da reeleição. Nem todos batem com os interesses da Câmara.

Ceticismo Bancos de investimento se frustraram ao saber que, após dez horas de reunião, o Planalto não conseguiu fechar o modelo do projeto de concessões.

Ao papa Luiz Fachin esteve nesta segunda-feira com Michel Temer. Quer o apoio do vice e articulador político para acalmar o PMDB do Senado e evitar surpresa na votação de sua indicação.

Visita à Folha José Otávio Costa Auler Júnior, diretor da Faculdade de Medicina da USP, visitou ontem a Folha, onde foi recebido em almoço. Estava acompanhado de Eloisa Bonfá, diretora clínica do Hospital das Clínicas, e Victor Ramos, coordenador de comunicação.

 


TIROTEIO

No vídeo que o ex-presidente Lula gravou com sua série de ginástica, faltou mostrar um dos principais exercícios do PT: as pedaladas!

DO DEPUTADO SAMUEL MOREIRA (PSDB-SP), sobre vídeo que Lula postou na última sexta-feira e as pedaladas fiscais nos governo de Dilma Rousseff.


CONTRAPONTO

Apertem os cintos

Em um voo de Brasília para São Paulo ao final da semana legislativa, a deputada Renata Abreu (PTN-SP), estreante na Câmara, surpreendeu-se com a quantidade de parlamentares no mesmo avião.

Segundo contou em seu blog, em que relata o dia a dia como parlamentar, decidiu fazer uma brincadeira:

—Se quiserem acabar com a bancada paulista, bastaria derrubar este avião!

Um colega de voo e de Câmara achou graça e decidiu dar sequência à piada:

—Este voo se chama sonho dos suplentes —disse, para risada dos outros passageiros.