Pesquisa do PT mostra derretimento de base social e causa ‘perplexidade’

Por Painel

Tremendo na base Pesquisas internas do PT revelaram que a crise do segundo mandato de Dilma Rousseff provocou um “derretimento da base social” do governo, nas palavras de um cacique da sigla. Trabalhadores e famílias beneficiadas por políticas de inclusão de gestões petistas dizem não tolerar mais a corrupção e reclamam que as medidas recentes do Planalto não condizem com as bandeiras defendidas na campanha. “Perplexos”, dirigentes dizem que o novo cenário “dificulta a reação” do partido.

Sem palavras A cúpula do PT tem feito reuniões periódicas em busca de um discurso para reconquistar os grupos tradicionalmente vinculados ao partido. Até agora, não conseguiram nenhuma fórmula mágica.

Prognóstico Em conversa recente com aliados, o ex-presidente Lula avaliou que a crise de popularidade de Dilma é “recuperável”, mas destacou que o governo precisa de mais “atitude”.

Surfando A cúpula do PSDB vai definir na quarta-feira os moldes de uma campanha nacional de filiações ao partido para aproveitar a crise e a onda de manifestações contra o governo Dilma.Tucanos dizem ter encomendado pesquisas que apontam até um milhão de jovens com perfil alinhado à legenda.

Em reforma Na mesma reunião, o partido de Aécio Neves deve determinar uma intervenção em “dezenas” de diretórios do PSDB, em municípios em que o mineiro teve desempenho fraco na eleição presidencial. A ideia é trocar o comando do partido nesses locais e fortalecê-los antes da disputa municipal de 2016.

Fico? Vinicius Lages (Turismo) reuniu a cúpula do ministério na última quinta-feira e disse ter recebido determinações para continuar tocando as atividades da pasta, apesar das articulações de parte do PMDB para que Henrique Alves assuma o posto.

Médio prazo A reunião durou toda a tarde. A equipe traçou um cronograma de ações do ministério para os próximos três meses.

Recursos humanos Em dois eventos na semana passada, Lages teve que responder a autoridades e empresários que continuava no cargo —ao menos por enquanto.

Réquiem A executiva do DEM se reúne em Brasília na terça-feira para discutir a proposta de fusão do partido com o PTB. Dirigentes contrários à união se encontraram na última semana para tentar “enterrar” o projeto antes que ele ganhe corpo.

Na fila Aprovado há um mês, o depoimento de Alberto Youssef na CPI da Petrobras não tem data marcada. Deputados deixam o assunto de lado por temer que ele entregue negociatas com os políticos em sua própria casa.

Em dobro Eduardo Paes (PMDB) chamou de “farsa”, mas auxiliares ficaram tensos com a demissão de funcionários da Queiroz Galvão em obras da Olimpíada do Rio. Secretários temem que as empreiteiras aumentem a pressão sobre a prefeitura até o início de 2016, ano eleitoral.

Classe Procuradores goianos ficaram furiosos com o artigo de Demóstenes Torres que diz que eles “têm padrão de vida superior ao meu”. Acusado de enriquecimento ilícito, o ex-senador teria recebido uma geladeira, um iPad e outros presentes de Carlinhos Cachoeira.

Foro Tucanos do Paraná decidiram reagir aos petistas que aventam a possibilidade de impeachment do governador Beto Richa (PSDB). “Eles têm motivos de preocupação: é do Paraná que saem as acusações de que o PT é o maior beneficiário do desvio da Petrobras”, provoca o deputado Valdir Rossoni (PSDB-PR).


TIROTEIO

Não acho que os protestos sejam coisa de ‘coxinha’ ou da mídia. Já existia mídia no governo Lula e ele tinha 85% de aprovação.

DE CÂNDIDO VACCAREZZA, ex-deputado pelo PT-SP, sobre críticas feitas por petistas aos manifestantes e à imprensa em meio à crise do governo Dilma.


CONTRAPONTO

Questões arquitetônicas

O ministro Eliseu Padilha (Aviação Civil) foi à Câmara em março para apresentar os projetos tocados pelo governo para expandir a infraestrutura do setor:
—Com os projetos em andamento, o Brasil está entre os grandes players da aviação civil —justificou.
Opositor ferrenho do PT, José Carlos Aleluia (DEM-BA), que estava do lado esquerdo do plenário, brincou:
—Projeto é coisa importante. Por exemplo: fizeram uma reforma aqui no plenário da Câmara e um erro de projeto fez com que eu tenha que vir para a esquerda. Se eu estivesse do lado de lá, V.Exa. não me veria!