Peça-chave em acusação contra Cunha, executivo volta a depor na Lava Jato

Por Painel

Prova dos nove O executivo Julio Camargo, da Toyo, prestou novo depoimento nesta quinta-feira no acordo de delação premiada que fechou na Operação Lava Jato. Os delegados e procuradores do caso consideram Camargo peça-chave para tentar confirmar informação prestada pelo doleiro Alberto Youssef sobre suposta pressão praticada pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), para que empresas contratadas pela Petrobras voltassem a pagar propina que havia sido suspensa.

Novelo Youssef acusou o presidente da Câmara de receber propina por um contrato de aluguel de um navio-plataforma com as empresas Samsung e Mitsui, representadas por Julio Camargo.

E aí? A força-tarefa pressiona o executivo a dizer se Cunha usou uma comissão da Câmara para chantagear as empresas. Se ficar provado que Camargo deliberadamente omitiu informações nos depoimento anteriores, ele pode perder os benefícios penais da delação.

Língua A oposição viu uma ameaça de Renato Duque ao PT nas palavras com que o ex-diretor da Petrobras abriu e fechou seu depoimento na CPI da estatal: “Há hora de calar e hora de falar”.

Precedente “Recado claro de quem não está disposto a pegar quarenta anos de cadeia, como Marcos Valério”, diz Antonio Imbasahy (PSDB-BA), vice-presidente da CPI.

Ponto fraco Membros da comissão notaram irritação excessiva de Duque quando sua família era mencionada. Acham que a possibilidade de sua mulher ser convocada pode levá-lo a falar.

Cadê? Deputados se queixam de que ainda não receberam o material da CPMI da Petrobras, que apurou irregularidades na estatal em 2014. Renan Calheiros (PMDB-AL) já foi alertado do problema.

Teje preso Eduardo Cunha confidenciou a aliados que, a pedido de deputados, cogitou dar voz de prisão a Cid Gomes depois de ter sido acusado de achacador pelo então ministro da Educação.

É nosso Petistas acham que o partido tem de assumir publicamente, e logo, o interesse no MEC, sob pena de que o PMDB leve a pasta.

Hoje não A presidente Dilma Rousseff tem adiado a troca do ministro Pepe Vargas (Relações Institucionais) por não ter encontrado um substituto que, na sua avaliação, possa apartar a crise entre governo e Congresso.

Cautela Dilma ainda não se convenceu de que dar a pasta ao PMDB, como defendem o ex-presidente Lula e o comando do PT, seja a melhor saída. Alguns petistas advogam que o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, seja o escolhido para o lugar de Pepe.

Aliado? Interlocutores do Planalto reclamam da atuação do PT diante da crise política do governo. Assessores da presidente dizem que o partido não sai em defesa de Dilma e pouco se expõe em questões polêmicas.

APODE2003PAINEL

Gazeta O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), não compareceu à reunião convocada por Lula na segunda para discutir a crise. Alegou que estaria dando aula na USP, mas sua ausência não pegou bem.

Embaixada Kátia Abreu (Agricultura) se reuniu por uma hora e meia na terça-feira com Wesley Batista, presidente do grupo JBS e irmão de Joesley, desafeto da ministra. A conversa foi amigável e terminou com um convite para o empresário integrar comitiva à China em maio.

Visita à Folha José Eduardo Cardozo, ministro da Justiça, visitou ontem a Folha.


TIROTEIO

Se o pedido de desculpas de seu ministro foi assim atabalhoado, imagine quando for a vez de a própria Dilma se desculpar.

DE SILVIO TORRES (PSDB-SP), deputado, sobre depoimento de Cid Gomes na Câmara que levou à sua demissão do Ministério da Educação, após bate-boca.


CONTRAPONTO

Cidade cosmopolita

O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio, é sempre abordado em eventos por João Raimundo Nascimento Cavalcante, conhecido como “Butica”, que se diz proprietário de uma mina de ouro, diamante e nióbio. Figura folclórica, Butica encontrou o tucano quando a cidade foi anunciada como sede do futebol nas Olimpíadas de 2016.
–Manaus já é mesmo uma cidade desenvolvida. Participou da Copa, vai participar das Olimpíadas…
Virgílio agradeceu os elogios, e o munícipe completou:
–E, além de tudo isso, já temos até aquele 9 a mais no número do celular, como Rio e São Paulo!