Dilma e Temer se reúnem após agravamento de crise com PMDB

Por Vera Magalhães

A presidente Dilma Rousseff e o vice, Michel Temer, se reuniram no final da tarde desta quarta (4) no Palácio do Planalto, informa Alexandre Aragão.

Foi a primeira conversa política de ambos a sós desde a posse de Dilma no segundo mandato —o encontro durou menos de uma hora.

Diante da crise na coalizão governista, a presidente se comprometeu a dialogar mais com os partidos e a abrir espaço para Temer entre seus conselheiros.

Na reunião com líderes partidários na manhã desta quarta-feira, no entanto, chamou a atenção novamente a ausência do vice, mesmo depois dos acenos de que ele passaria a ter um papel mais efetivo na articulação.

Informações do Palácio do Planalto são de que foi Temer quem solicitou a Dilma um encontro nesta quarta.

O partido que Temer preside, o PMDB, está no centro dos pedidos de abertura de inquéritos contra políticos acusados de envolvimento nos desvios apurados na Operação Lava Jato. A lista de 54 pedidos de abertura de inquérito inclui, segundo informações de bastidores, os presidentes do Senado Federal, Renan Calheiros, e da Câmara, Eduardo Cunha, ambos peemedebistas.

Cunha e Renan teriam sido avisados desde a semana passada de que integrariam a lista apresentada ao STF pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot. A reação do presidente do Senado foi imediata: deixou de comparecer a jantar com Dilma no Palácio da Alvorada na segunda-feira e, na terça, devolveu ao Executivo a medida provisória que revia as desonerações de folha de pagamento para vários setores da economia, que integra o pacote de ajuste fiscal do governo.