Oposição quer saber se Cardozo obteve informação privilegiada da Lava Jato

Por Painel

Ministro na mira Além de questionar a Comissão de Ética da Presidência sobre os encontros de José Eduardo Cardozo (Justiça) com advogados de empresas investigadas na Operação Lava Jato, a oposição apresentará ainda nesta semana requerimento para que o ministro seja convocado a depor na nova CPI da Petrobras, quando ela for instalada. PSDB, DEM e PPS também querem ter acesso à relação de encontros e telefonemas de Cardozo com o procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

Prévia A oposição quer apurar se Cardozo obteve informações privilegiadas do Ministério Público, em razão de declaração do ministro de que partidos de fora da base aparecerão quando Janot apresentar a lista de políticos envolvidos nos desvios.

Pente-fino A força-tarefa da Operação Lava Jato pedirá que a Petrobras informe se os estaleiros de Cingapura Jurong e Kepell Fels foram incluídos em carta-convite para a construção de módulos de compressão de gás para seis plataformas do pré-sal.

Sigilo A Petrobras não divulga quais foram as seis empresas estrangeiras que receberam a carta-convite, depois que as brasileiras investigadas foram impedidas de atuar em novas concorrências.

Sim ou não? A força-tarefa se baseia em informações de mercado de que os estaleiros estrangeiros, citados na delação premiada de Pedro Barusco como tendo pago propina para obter contratos, receberam a carta-convite.

Para recordar 1 Na delação, o ex-gerente da Petrobras disse que o Kepell Fels pagou US$ 14 milhões em propina para ele e o ex-diretor Renato Duque para entrar em licitação de construção de sondas. Teria pago também US$ 4,3 milhões para o tesoureiro do PT, João Vaccari.

Para recordar 2 O Jurong teria pago, segundo Barusco, US$ 3,3 milhões aos operadores do esquema por outro contrato para fornecer sondas.

Última… Advogados de empresas investigadas ainda têm esperança de anular a operação, como o STJ fez com a Castelo de Areia, em 2010.

… que morre Uma tese em estudo seria questionar a extensão das prisões de investigados para obter delações. “A delação é instituto da defesa, não da acusação”, sustenta um criminalista.

Blackout O governo federal realiza nesta quinta-feira licitação para contratar agência de publicidade para produzir dois comerciais de TV para campanha de uso consciente de energia. O pacote, de R$ 1,2 milhão, inclui ainda cinco vídeos para a internet.

APODE1802PAINEL

Boca fechada A economia de gastos na Esplanada do Ministério atingiu o adoçante de saquinho, cortado, e o café, cujo volume foi reduzido. “É o governo Ravenna. Todo mundo de dieta”, reclama um ministro.

Vai indo… Vereadores da base de Fernando Haddad querem retardar a aprovação da multa para quem for pego lavando calçadas e carros com água limpa, que já passou pela primeira votação na Câmara Municipal.

… que eu não vou O grupo pretende convocar audiências públicas antes da segunda votação. Uma ideia é jogar para a Sabesp a responsabilidade pela aplicação da multa e, assim, evitar desgaste para a prefeitura.

Femen Deputados do PSDB na Assembleia paulista defendem a indicação uma das três mulheres da bancada para ocupar a primeira vice-presidência da Mesa.

Giro 1 O diretório municipal do PT em São Paulo fará, até o fim de março, uma série de encontros em seus diretórios regionais para discutir a renovação do partido.

Giro 2 A sigla quer engajar sua militância na campanha de Haddad à reeleição. O prefeito deve participar do encerramento, em abril.


TIROTEIO

Com a honra e a humildade que tenho de ser senadora pelo meu Estado, lembro o provérbio bíblico: a soberba precede a ruína.

DE KÁTIA ABREU, ministra da Agricultura, sobre Joesley Batista (JBS) ter dito que não poderia se preocupar com o que pensa uma senadora do Tocantins.


CONTRAPONTO

Deu quorum

A cantora Ivete Sangalo, que emprestou a melodia de “Festa” para a campanha presidencial de Aécio Neves no ano passado, atraiu uma legião de políticos para Votuporanga, interior de São Paulo, onde fez um show nesta terça-feira. Entre os convidados, havia secretários de Geraldo Alckmin, deputados estaduais e prefeitos da região.

Feliz com o grande público, Junior Marão (PSDB), que administra a cidade do noroeste paulista, calculou:

—Tem mais gente aqui hoje do que quando vem o governador ou a presidente…

Depois dos risos, completou:

—E dessa vez é para jogar confete de verdade!