Em vídeo de 1986, Mercadante analisa o ‘Brasil do Cruzado’

Por Painel

“Este era o Brasil da inflação”, diz, microfone em punho, um jovem Aloizio Mercadante em vídeo gravado pela CUT (Central Única dos Trabalhadores) em 1986. Na época assessor sindical da CUT, o atual ministro da Casa Civil foi para um supermercado analisar o impacto das medidas do recém-implantado  Plano Cruzado, do governo José Sarney (1985-1990), na vida dos trabalhadores.

Na era pré-Internet, o vídeo, agora disponibilizado pela TVT, a TV da CUT, era exibido em aulas nos sindicatos filiados à central.

Com um pacote de Maizena e depois uma lata de leite Ninho em mãos, Mercadante consultava uma tabela da Sunab para verificar os efeitos do congelamento de preços e explicar, na prática, seu impacto sobre a inflação.

“Nós estamos vivendo o Brasil do Cruzado. O Brasil em que a dona de casa, na maioria das vezes, vai fazer a compra com uma lista do governo que fixou os preços dos produtos”, disse Mercadante na reportagem.

Após verificar os preços dos produtos e cotejá-los com a tabela, Mercadante atesta: “Aparentemente, no Brasil do Cruzado, o problema da inflação acabou”.

Em seguida, ele aborda um dos efeitos deletérios do congelamento: a falta de produtos no mercado. “Aqui havia chocolate granulado. Esse é o último pacote do supermercado e não vai chegar mais.”

O vídeo termina com o economista explicando o contexto político do pacote de Sarney, uma tentativa de resgatar sua governabilidade no Congresso e a popularidade: “O PMDB ameaçando se retirar, principalmente depois da reforma do ministério”, diz o atual titular da Casa Civil.

O curioso do vídeo é que a inflação e a rebeldia do PMDB, quase 30 anos depois, ainda são temas a preocupar o ministro, que agora os enfrenta do lado do governo. O bigode indefectível também continua o mesmo. De diferente na indumentária, só a vasta cabeleira e a calça amarela típica dos anos 1980.