Vaccari se defende em encontro do PT e partido fala em ‘articulação golpista’

Por Bruno Boghossian

O tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, disse a colegas de partido na noite desta quinta-feira (5) que respondeu a todas as perguntas feitas em seu depoimento à Polícia Federal e que não era necessário que os agentes fossem até sua casa para levá-lo até a sede da instituição, pois estava disposto a colaborar com as investigações se fosse convidado ou intimado.

Segundo dirigentes da sigla, Vaccari fez um “informe” sobre seu envolvimento na operação durante encontro da corrente petista Construindo um Novo Brasil, em Belo Horizonte. Ele afirmou que foi bem tratado pelos policiais e negou que eles tenham pulado o muro de sua casa em São Paulo –apesar de a PF ter divulgado vídeo com esta cena. O tesoureiro disse que os agentes abriram o portão e que ele próprio abriu a porta para recebê-los.

Em seguida, o presidente nacional do PT, Rui Falcão, declarou haver uma “articulação golpista” contra o partido e o governo Dilma Rousseff. Denunciou a “coerção” de Vaccari às vésperas do aniversário de 35 anos da legenda e reclamou que o tesoureiro foi o único alvo desta fase da operação que teve o nome divulgado pela Polícia Federal nas primeiras horas da manhã.