SP compensará queda em previsão de crescimento com ajuste maior em 2015

Por Painel

Torneira fechada O governo paulista, que elaborou sua proposta orçamentária prevendo um crescimento do PIB de 1,5% em 2015, já se prepara para adequar suas despesas a uma evolução menor da economia. A equipe de Geraldo Alckmin não considerou necessário alterar o projeto de lei do Orçamento, como fez o Planalto, mas reconhece que a previsão menos otimista de crescimento vai impactar o tamanho do contingenciamento de gastos que será anunciado no início do próximo ano.

Pé no freio O tamanho do ajuste deve ser definido na primeira quinzena de janeiro. Apesar da diretriz para que o foco seja na redução de gastos com o custeio da máquina, a equipe de Alckmin já começa a identificar investimentos que possam ter um ritmo menor no início do governo.

Ceder… A Assembleia paulista derrubou em 2014 o maior número de vetos impostos por Alckmin a projetos aprovados pela Casa na atual legislatura. Foram 18 neste ano, contra 21 nos outros três anos de mandato somados.

… para governar Parte da derrubada dos vetos foi acordada pelo Palácio dos Bandeirantes com os deputados para que projetos de interesse do governo fossem aprovados. Nas duas sessões de discussão do Orçamento, dez vetos foram derrubados.

Água na fervura A pedido do Palácio dos Bandeireantes, a bancada do PSDB na Assembleia decidiu jogar para fevereiro a escolha formal do indicado do partido para presidir a Casa.

Cadê? Na equipe de transição de Fernando Pimentel (PT), sobram críticas à escassez de informações fornecidas pelo atual governo mineiro. A avaliação é a de que a passagem de bastão deixou a desejar, com poucos dados além do que já está disponível para consultas públicas.

Vende tudo Causou espanto sobretudo um leilão marcado pela gestão Alberto Pinto Coelho (PP) para o dia 30. Serão vendidos imóveis de estatais, a lances mínimos que somam R$ 35 milhões. Ninguém faz isso a 48 horas do fim do mandato, diz um auxiliar de Pimentel.

Zebra O deputado estadual Jorge Caruso (PMDB-SP) comunicou ao partido que tentará concorrer à Prefeitura de São Paulo em 2016. Paulo Skaf e Gabriel Chalita são possíveis rivais internos.

Ou eu… Desalojado da Aviação Civil na nova Esplanada dilmista, Moreira Franco (PMDB) se sente traído. Entre ele e Eliseu Padilha, o vice-presidente Michel Temer preferiu avalizar o último que tem trânsito melhor com a bancada da Câmara.

… ou ele Também pesou o fato de Moreira não ter boas relações com o líder do PMDB na Casa, Eduardo Cunha (RJ).

Chorinho natalino Passado o anuncio das seis pastas do PMDB, o Planalto deve oficializar amanhã os ministros da cota petista.

IMG_0859 (1)

Até o fim José Serra (PSDB-SP), que ocupará o gabinete de Eduardo Suplicy (PT-SP) no Senado, perguntou se ele poderia desocupá-lo até 15 de janeiro. O petista disse que não sairá antes de 31, último dia do mandato.

Dois em um Ex-sindicalista, o primeiro-ministro sueco, Stefan Löfven, confirmou presença na posse de Dilma. Aproveitará para se encontrar com Lula e Luiz Marinho, prefeito de São Bernardo, onde a sueca Saab fabricará peças dos caças vendidos à Força Aérea Brasileira.

Sem saída Sem receber desde outubro, construtoras que têm contratos com o Dnit prometem iniciar paralisações a partir do começo de janeiro. Elas estimam em R$ 2,5 bilhões o que têm para receber do departamento, vinculado aos Transportes.

Enquanto isso… Deputados relatam que Luciano Castro (PR-RR) tem feito campanha na Câmara para assumir a presidência do órgão.


TIROTEIO

O PSDB questionando a eleição de Dilma é igual ao menino dono da bola que perde e decide que o jogo não pode continuar.

DE ORLANDO SILVA, deputado eleito pelo PC do B-SP, sobre o pedido do PSDB para que a Justiça Eleitoral anule os votos de Dilma e emposse Aécio Neves.


CONTRAPONTO

Desculpa de perdedor

Deputados estaduais de São Paulo e vereadores da capital entraram em campo há cerca de duas semanas para disputar uma partida de futebol de confraternização de final de ano. O amistoso, no Pacaembu, teve até gol do futuro presidente da Câmara, Antonio Donato (PT).

Com o jogo encerrado, Simão Pedro, que é deputado licenciado pelo PT, fez uma revelação que quase ensejou a criação de uma CPI mista:

—É malandragem antiga da Câmara. No segundo tempo, eles colocam filhos, assessores e até guarda-costas pra jogar no lugar dos vereadores. Desse jeito fica difícil! —desabafou o atual secretário de Fernando Haddad.