Procurador já tem provas para denunciar ao menos um parlamentar

Por Painel

O buraco é mais fundo Rodrigo Janot disse a interlocutores que, além de pedir investigação contra políticos citados nas delações da Lava Jato, em fevereiro, já tem provas suficientes para apresentar ao Supremo denúncia formal contra pelo menos um parlamentar. O procurador-geral da República, porém, não revelou o nome. Além disso, na PGR e no STF há outros nomes de políticos com mandato citados por Paulo Roberto Costa como envolvidos no escândalo da Petrobras e que não estão na primeira lista.

Puzzle 1 O pedido de cisão dos inquéritos contra políticos que Janot entregará em fevereiro no STF, com as informações compiladas de todas as delações premiadas, deverá ter mais de 100 páginas e pode dar origem a mais de 40 procedimentos.

Puzzle 2 Na lista de políticos citados pelo doleiro Alberto Youssef, há nomes que Paulo Roberto não mencionou e vice-versa.

Pulga Delegados da Polícia Federal que integram a Lava Jato desconfiam de que Julio Camargo, da Toyo Setal, protegeu o ex-ministro José Dirceu nos depoimentos que deu na delação premiada. Essa omissão, se confirmada, pode anular o benefício.

Divisória Segundo os investigadores, o empresário cita Pedro Barusco e Renato Duque, ex-funcionários da Petrobras ligados a Dirceu, admite que o ex-ministro pegou carona em seu jatinho, mas nega sempre que questionado sobre se o petista participava do esquema.

No telhado A confirmação de que o presidente da Câmara, Henrique Alves (PMDB-RN), foi citado por Paulo Roberto levou conselheiros a recomendarem que Dilma Rousseff suste, por ora, sua ida para o Ministério.

Banho-maria Apesar do apelo público feito por Marco Aurélio Mello, Dilma ainda não começou a consultar seus conselheiros habituais sobre o nome que deve indicar só em 2015 para a vaga de Joaquim Barbosa no STF.

Projeto verão Kátia Abreu não é a única da futura equipe ministerial que aderiu à dieta Ravenna, iniciada pela presidente. Moreira Franco (Aviação Civil) já se submete ao método emagrecedor há algumas semanas.

Ecos de… O governador Geraldo Alckmin não se limitou às razões jurídicas ao justificar o veto à proposta que proibia o uso de bala de borracha pela Polícia Militar.

… 2013 “Por vezes, grupos de pessoas degeneram o ambiente de manifestação em vandalismo”, diz o tucano na mensagem, que será publicada hoje. “A vedação causará o nefasto efeito de desaparelhar agentes encarregados do controle de distúrbios civis.”

Eu não Já no veto à autorização para criar conselhos de participação popular, o tucano aproveita para alfinetar o governo federal.

Ela sim Alckmin cita decreto similar editado pelo Planalto e derrubado pelo Congresso e diz que esses grupos “podem ocasionar a implosão do regime de democracia representativa”.

Check-up David Uip vai permanecer à frente da Secretaria de Saúde paulista no próximo mandato.

apode2012painell

Epidemia Paulo Maluf (PP-SP), que não compareceu ontem à cerimônia de diplomação dos eleitos, atribuiu sua ausência a uma forte gripe que o acometeu: “Não queria passar a doença aos meus colegas deputados”.

Visita à Folha Marcelo Freixo, deputado estadual pelo PSOL do Rio de Janeiro, visitou ontem a Folha, a convite do jornal, onde foi recebido em almoço. Estava acompanhado de Priscila Soares.


TIROTEIO

O governo está escolhendo um caminho que levará a uma nova CPI da Petrobras em 2015. E não será chapa branca como a deste ano.

DO DEPUTADO DANILO FORTE (PMDB-CE), sobre as negociações com o Planalto sobre a participação do PMDB na Esplanada após a reforma ministerial.


CONTRAPONTO

Conhecimento de causa

Em um jantar da cúpula do PMDB no Rio durante a semana, dirigentes do partido passaram a discutir desafios e gargalos da infraestrutura do país.

Quando o assunto migrou para as hidrovias brasileiras, o deputado Eliseu Padilha (RS), cotado para comandar a Secretaria de Portos, comentou:

–Eu participei da primeira viagem da hidrovia Tietê-Paraná. Eu era ministro dos Transportes nessa época.

O ministro Moreira Franco (Aviação Civil) aproveitou para provocar o correligionário:

–Olha só… Já está demonstrando gosto pelo assunto!