Gilmar Mendes apresenta até amanhã voto sobre contas de Dilma

Por Painel

Rito sumário Gilmar Mendes pretende apresentar até amanhã seu voto sobre as contas da campanha de Dilma Rousseff. O ministro já se debruça sobre o parecer da área técnica do Tribunal Superior Eleitoral, que recomendou sua rejeição, e aguarda apenas a manifestação do procurador-geral eleitoral, Eugênio Aragão. Segundo técnicos do tribunal, um dos maiores problemas é a apresentação tardia de notas fiscais com datas retroativas, considerada falha grave pela resolução sobre contas eleitorais.

Ansiolítico Edinho Silva, tesoureiro da campanha, tentou tranquilizar o Planalto quanto à regularidade das contas. Em conversa com Aloizio Mercadante (Casa Civil) antes de conceder entrevista sobre o assunto, garantiu que não há inconsistências graves na prestação.

Só dá ele Além das múltiplas atribuições, Mercadante passou a procurar outros ministros para opinar sobre suas áreas. A onipresença do petista na transição lhe rendeu novo apelido entre os colegas: “O Absoluto”.

Dois mundos A negociação para que seja formalizado um acordo de leniência entre empreiteiras investigadas na Operação Lava Jato e o governo dividiu as construturas, sempre tão unidas.

Lei da cadeia De um lado, as companhias que têm sócios ou executivos presos demonstram tendência de aceitar as regras oferecidas. De outro, a Odebrecht, que até aqui não é investigada oficialmente, resiste ao que considera pressão indevida.

Conectado A Polícia Federal apreendeu no apartamento de Leo Pinheiro, presidente da OAS, 13 telefones celulares guardados num cofre.

Quanto é? O ministro Luis Roberto Barroso, do STF, deu até hoje para que o governo defina o valor atualizado que João Paulo Cunha e os integrantes do núcleo publicitário do mensalão têm de devolver aos cofres públicos pelo contrato de publicidade da SMP & B com a Câmara.

Rateio Caberá à AGU (Advocacia-Geral da União) e à CGU (Controladoria-Geral da União) emitir guia de cobrança para que João Paulo, Marcos Valério, Cristiano Paz e Ramon Hollerbach, todos presos, façam o ressarcimento.

Feliz 2015 Sindicalistas que participaram da conversa de ontem com Dilma Rousseff dizem que a presidente foi superficial ao abordar o fim do fator previdenciário e empurrou a discussão para o começo do ano que vem.

Então é Natal A presidente, segundo representantes das centrais, disse que o governo está disposto a defender o modelo atual de valorização do salário mínimo.

apode0912paiinel

Low profile Ministros que dividiram voos em aviões da FAB com Guido Mantega contam que ele não é muito afeito a papos com os colegas durante a viagem. Ele costuma sentar, coloca óculos escuros e dorme até o avião pousar, conta um colega.

Veja bem O presidente do STF, Ricardo Lewandowski, redistribuiu para Luiz Fux pedido de liminar para que Luiz Zveiter concorresse à reeleição para presidente do Tribunal de Justiça do Rio após ser questionado pela ex-relatora do caso, Cármen Lúcia.

Saia justa Barros Munhoz (PSDB), líder do governo na Assembleia paulista, cobrou o secretário de Meio Ambiente, Rubens Rizek, pelo e-mail em que recomendava que a Casa rejeitasse a regulamentação do Código Florestal, relatada pelo tucano.

Não fui eu Rizek respondeu que o e-mail foi enviado em seu nome indevidamente e atribuiu o teor a uma inflamada militância ambiental de um auxiliar.


TIROTEIO

Hage jogou a tolha porque viu que combater corrupção em governo petista não é tarefa para controladoria, mas sim caso de polícia.

DO DEPUTADO ANTONIO IMBASSAHY (PSDB-BA), líder do partido na Câmara, sobre a saída do ministro Jorge Hage da Controladoria-Geral da União.


CONTRAPONTO

Querida Mamãe Noel

Durante a reunião de ontem com representantes das centrais sindicais, a presidente Dilma Rousseff recebeu de presente de Miguel Torres, presidente da Força Sindical, uma agenda de 2015.

A petista agradeceu o mimo e, quando foi folheá-lo, deixou cair de lá de dentro um papel.

Dilma foi ver do que se tratava e se deparou com uma lista de reivindicações da pauta trabalhista.

Você não perde tempo, hein Miguel? –, brincou a presidente, guardando o papel.

Os demais participantes da reunião caíram na risada.