Associação da PF defende conduta de delegados da Lava Jato

Por Vera Magalhães

A ADPF (Associação Nacional dos Delegados da Polícia Federal) divulgou nota em defesa dos delegados que atuam na Operação Lava Jato, que usaram as redes sociais para exaltar Aécio Neves (PSDB) durante a campanha eleitoral e fazer críticas ao governo Dilma Rousseff e ao ex-presidente Lula.

Em encontro realizado na semana passada em Fortaleza, correntes do PT pediram o afastamento dos delegados da investigação sobre o escândalo de pagamento de propina e superfaturamento de contratos na Petrobras.

Pelo menos quatro delegados que participam das investigações no Paraná usaram seus perfis ou as caixas de comentários no Facebook para postar elogios a Aécio ou críticas aos petistas, conforme revelou a jornalista Julia Duailibi, do jornal “O Estado de S.Paulo“.

Na nota de desagravo aos delegados, a ADPF manifesta solidariedade aos delegados e diz que eles foram alvo de “vazamento ilegal de parte do conteúdo postado com deturpações para fins de patrulhamento ideológico”.

“A divulgação de mensagens fora de contexto está a serviço de empreitada interessada em desqualificar investigadores e desviar o foco das investigações da operação Lava Jato. É mais uma obra de forças que se imaginam intocáveis e resistem às reformas exigidas pela sociedade brasileira sobretudo no tocante ao fim da impunidade para corruptos e corruptores”, diz o texto.

A associação diz, ainda, que qualquer apuração sobre a conduta dos delegados “chegará à seguinte conclusão: o único vazamento seletivo evidente é aquele que vitimou com maledicências esses dedicados profissionais”.

A ADPF se diz disposta a recorrer à Justiça para defender a integridade dos delegados, caso haja medidas para afastá-los das investigações.