Teori reforça equipe no Supremo às vésperas de denúncias contra políticos

Por Bruno Boghossian

Esforço concentrado Teori Zavascki, relator no STF (Supremo Tribunal Federal) das ações da Operação Lava Jato, nomeou como assessor em seu gabinete o desembargador federal aposentado Manoel Volkmer de Castilho, que atuou com ele no TRF da 4ª Região. O ministro reforça sua equipe diante da proximidade da nova fase da investigação, quando o Ministério Público Federal deve apresentar denúncia contra políticos com foro privilegiado citados nos depoimentos dos acusados de desvios na Petrobras.

Currículo Depois de se aposentar, em 2003, Castilho foi consultor-geral da União no governo Lula e secretário-geral da presidência do Supremo durante o comando da ministra Ellen Gracie.

Processo seletivo O ministro que Dilma Rousseff indicar para o STF na vaga de Joaquim Barbosa será alocado na segunda turma da corte –a mesma de Teori. O novo ocupante, portanto, deve participar do julgamento dos políticos acusados no caso.

Algoz Parlamentares citados em escutas e delações da Lava Jato que não se elegeram em outubro terão seus processos remetidos ao juiz federal Sérgio Moro, no Paraná, e não ao Supremo.

Sem foro É o caso do petista Candido Vaccarezza (SP) e do ex-petista André Vargas (PR). Durante a campanha eleitoral, o PT atacou Moro pela divulgação de depoimentos que ligavam o partido ao escândalo de corrupção.

Extrato Um dos momentos em que João Vaccari foi aplaudido ontem na reunião do PT em Fortaleza foi ao relatar a saúde financeira da sigla. Citado por delatores do caso, o tesoureiro disse que a campanha de Dilma terminou com saldo de R$ 169 mil.

Gazeta 1 Três dos conselheiros do CNJ que assinaram o manifesto contra o cancelamento da chamada pauta rápida do órgão, as reuniões que aconteciam às segundas-feiras, faltaram ontem à primeira sessão extraordinária convocada pelo presidente Ricardo Lewandowski.

Gazeta 2 Saulo Bahia, Gilberto Martins e Luiza Frischeisen alegaram outros compromissos para não comparecer à reunião, comandada pela vice-presidente, a ministra Cármen Lúcia.

Manejo O Planalto e a cúpula do PMDB negociam antecipar a troca do comando da Agricultura após suspeitas de envolvimento do ministro Neri Geller com um esquema de grilagem de terras investigado pela Polícia Federal. Sua situação é descrita como “insustentável”.

Meio caminho Geller é um dos ministros que haviam aderido ao esforço coletivo de entregar ao governo suas cartas de demissão.

Cabo… A bancada do PMDB na Câmara deu sinais de que não pretende “entregar” a aprovação da mudança da meta fiscal na terça-feira se Dilma não fizer um gesto de boa vontade com o partido na reforma ministerial.

… de guerra Uma ala da sigla se rebelou contra a própria legenda. Deputados dizem que os nomes de Henrique Alves e Eliseu Padilha para o ministério não passaram pelo crivo dos parlamentares e prometem contestar as indicações na próxima reunião da bancada.

UFC Antonio Imbassahy (PSDB-BA) brincou com Mendonça Filho (DEM-PE) sobre o bate-boca que o democrata teve com Renan Calheiros (PMDB-AL): “Só faltam as luvas de boxe. Uma hora dessas o Renan vai querer te dar uma chave de braço!”.

Visita à Folha Thomas Piketty, economista francês, visitou ontem a Folha, a convite do jornal, onde foi recebido em almoço.


TIROTEIO

“O PIB de 0,1% deixa Dilma e seu time muito próximos da nota que merecem por seu desempenho na economia: zero absoluto.”

DO SENADOR CÁSSIO CUNHA LIMA (PSDB-PB), sobre o resultado do crescimento do PIB no terceiro trimestre, que tirou o país do quadro de recessão técnica.


CONTRAPONTO

Não vai ter ‘selfie’

A bancada do PSC na Câmara se reuniu no início da semana em Brasília para decidir se apoiava Eduardo Cunha (PMDB-RJ) na disputa pela presidência da Casa. Silvio Costa (PE), considerado “governista roxo” pelos colegas, foi o único voto dissidente.
–Há aqueles que pregam o lulismo e há aqueles que pregam o cunhismo –lamentou o deputado pernambucano, diante do placar de 12 a 1.
O grupo caiu na gargalhada. No dia seguinte, a bancada do partido se reuniu para declarar apoio a Cunha. Costa, é claro, não posou para fotos com o peemedebista.