Dilma diz não ter preferência entre enfrentar Marina ou Aécio no 2° turno

Por BERNARDO MELLO FRANCO

Depois do debate mais tenso da campanha, a presidente Dilma Rousseff (PT) disse, na madrugada desta sexta (3), não ter preferência entre enfrentar Marina Silva (PSB) ou Aécio Neves (PSDB) no segundo turno.

“Rigorosamente eu não tenho”, afirmou, taxativa, nos bastidores do Projac, centro de produções da TV Globo na zona oeste do Rio.

A candidata do PT à reeleição embarcava em um carrinho de golfe que a conduziria à entrevista coletiva pós-debate. Questionada sobre quem acha que vai enfrentar, desconversou, com cara de interrogação: “Não sei…”.

Dilma parecia relaxada depois do intenso bombardeio dos principais adversários e de nanicos como Pastor Everaldo (PSC), que ensaiou dobradinha com Aécio no debate.

Na coletiva, demonstrou um bom humor incomum nos três anos e nove meses na Presidência.

X

Quando uma assessora da Globo avisou que os cinco minutos da entrevista estavam se encerrando, reclamou do controle do tempo: “Isso  aí virou uma febre…”. Pouco depois, a funcionária avisou que o tempo havia se esgotado.

“Qualquer dia eu vou chegar em casa e minha filha vai perguntar: ‘Como está? Trinta segundos para responder!'”, reagiu a petista.

Os jornalistas riram. Dilma prosseguiu, até ser interrompida novamente pela mesma assessora que controlava o tempo e os microfones.

“Isso está ficando uma doença”, disse, dirigindo-se à funcionária. “Você vai chegar em casa e dizer para o marido: dois minutos para o beijo. É pouco, viu?”, concluiu a presidente.