PT mobiliza sua máquina sindical para engrossar ataques a Marina Silva

Por Painel

Apoio companheiro O PT começou a mobilizar sua máquina sindical para engrossar os ataques a Marina Silva. Líderes da CUT, ligada ao partido, vão organizar atos com trabalhadores contra a candidata do PSB. Ela será acusada de ameaçar o pré-sal, ao defender mudanças na política energética, e os bancos públicos, ao propor maior financiamento privado a programas de habitação. Os dois temas já são martelados pela campanha da petista Dilma Rousseff para minar o crescimento da adversária.

Fura poço A Federação Única dos Petroleiros, filiada à CUT, vai organizar o ato do pré-sal. “Temos uma chance para investir na educação. Não podemos fazer como a Marina, que desdenha essa riqueza”, diz José Maria Rangel, dirigente da entidade.

Paga conta Bancários da Caixa e do Banco do Brasil já trataram das manifestações com dirigentes do PT. Um aliado de Dilma ensaia o discurso: “A proposta da Marina é enfraquecer os bancos públicos e torná-los mais atrativos para serem vendidos”.

Ocupa terra O principal líder do MST, João Pedro Stédile, mandou mensagem a amigos com críticas ao programa de Marina para a reforma agrária. Chamou o plano de “muito fraquinho”. E completou: “Um corolário de perfumarias” que não afetará a “concentração de terra e os interesses do agronegócio”.

Ao relento Dilma não fez contato com Guido Mantega (Fazenda) antes ou depois de sugerir sua saída do governo. Ela combinou a fala com a cúpula da campanha, que considera o ministro “demitido”.

Fica comigo Marina se encantou ontem em Porto Alegre com um anel, mas achou caro. O vice Beto Albuquerque resolveu presenteá-la com a bijuteria: “É para simbolizar nosso casamento”.

apode0509painel

Mudei de ideia A mulher do vice fez cara séria. Ele então se corrigiu: “É para simbolizar nossa união…”

Nada se cria O plano de governo de Marina plagiou três propostas de Lula para a saúde em 2006. O texto copiado prometia “ampliar o Sistema de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), estendendo, com o apoio das Forças Armadas, o atendimento a regiões de difícil acesso”.

Tudo se copia Outra promessa repetida fala em apoiar a “criação das Centrais de Regulação, garantindo o acesso dos cidadãos, de forma mais rápida e humanizada, à rede hierarquizada de atenção integral à saúde”.

Enxuga lá O empresário Jorge Gerdau, conselheiro do governo Dilma, sugeriu à equipe de Marina propor a redução do número de secretarias ligadas à Presidência. Hoje elas são dez, e vão dos Portos à Igualdade Racial. A informação está na revista “Piauí” que sai hoje.

SOS tucano Além de aumentar os ataques a Marina na TV, a campanha de Aécio Neves (PSDB) recrutou aliados como José Serra, ACM Neto e Beto Richa para pedir votos na propaganda de rádio.

Fora da caixa O tucano vai hoje a Rio Grande do Sul e Paraná, depois de 12 dias sem sair do eixo Rio-SP-Minas.

Tá caro Relatório da Câmara Municipal de São Paulo aponta “aumento desproporcional” nos gastos da gestão Fernando Haddad (PT) com o Disque 156 na área de saúde. Segundo os vereadores, o gasto médio mensal saltou de R$ 1,6 milhões em 2013 para R$ 2,9 milhões este ano, sem razão aparente.

Veja bem A prefeitura contesta os dados e sustenta que a despesa mensal foi de R$ 2 milhões nos dois anos. O secretário Nunzio Briguglio (Comunicação) diz que cumpriu as determinações da controladoria do Município.


TIROTEIO

“A campanha de Marina já tem seu Guido Mantega: é o vice Beto Albuquerque, mais um especialista em previsões furadas.”

DO DEPUTADO JOSÉ ANÍBAL (PSDB-SP), sobre a previsão de que, no 2º turno, Marina Silva receberá o voto de 80% dos eleitores do tucano Aécio Neves.


CONTRAPONTO

Um pedido à irmã Marina

No início de agosto, Marina Silva levou Eduardo Campos a um encontro com pastores evangélicos. O presidente da Convenção Geral das Assembleias de Deus, José Wellington Bezerra, pediu à ex-senadora que ajudasse a converter o companheiro de chapa, que era católico.

—Ele ainda não é crente. Mas na companhia da irmã Marina, quem sabe ele também vai se converter… —brincou o líder religioso, referindo-se ao pernambucano.
—Aleluia!— responderam os pastores em coro.
Sentados na primeira fila atrás do pastor, Campos e Marina se olharam e deram risada.