Marina terá encontros com ruralistas para tentar diminuir rejeição

Por Painel

Bom dia, fazendeiro Vista como a principal adversária dos ruralistas em Brasília, a presidenciável Marina Silva (PSB) reservou suas agendas de hoje e amanhã para tentar baixar as resistências do agronegócio. Ela dirá aos fazendeiros que tinha uma pauta ambiental a cumprir como senadora e ministra de Lula, mas estará aberta ao diálogo caso se eleja presidente. A candidata firmará compromisso com a previsibilidade e com contratos em curso e prometerá não tomar medidas “de cima para baixo”.

Miss Canavial Hoje, em aceno a produtores de cana, Marina criticará a política de Dilma Rousseff para o etanol. Amanhã, em jantar com empresários rurais, defenderá o programa federal ABC (Agricultura de Baixo Carbono).

Eu não sabia Do vice Beto Albuquerque (PSB), sobre as suspeitas de que empresas-fantasmas compraram o jato em que Eduardo Campos viajava: “Só me faltava essa. Agora quando eu entrar no táxi vou ter que pedir a documentação do proprietário?”.

Check-in Marina mantém o novo hábito de usar aviões de carreira. Ontem, ela e oito aliados foram os últimos a embarcar no voo 3918 da TAM, de São Paulo para o Rio.

Boa moça “Não estou furando fila, viu?”, disse a ex-senadora. Sua equipe não pediu prioridade de embarque para evitar que fosse acusada de tratamento privilegiado. Ela foi aplaudida por passageiros ao entrar no avião.

apode2808painel
Como uma pluma Apesar da disparada de Marina nas pesquisas, o ex-ministro Carlos Lupi (PDT), que apoia Dilma, aposta que ela cairá até a eleição: “Todo furacão acaba em brisa”.

Zero a zero Para o comitê de Dilma, que passou a monitorar com lupa cada palavra de Marina, a candidata “sobreviveu” ontem à entrevista no “Jornal Nacional”. Ela se saiu bem nas perguntas mais difíceis e “não perdeu votos”, diz um petista.

Cristianização Um dia depois de o Ibope mostrar Aécio Neves (PSDB) dez pontos atrás de Marina, o governador Geraldo Alckmin deixou de acompanhá-lo em duas agendas em São Paulo. Preferiu visitar evangélicos com Pastor Everaldo (PSC).

Alento O PSDB monitorou seis grupos de indecisos durante o debate da Band. Segundo o partido, metade dos simpatizantes de Marina admitiu migrar para Aécio.

Ventania Do candidato do PR ao governo do Rio, Anthony Garotinho, sobre os sinais de que o PMDB fluminense começou a abandonar o tucano: “Parece que bateu um vento forte em Jacarepaguá e derrubou todas as placas do Aécio com o Eduardo Cunha…”. O deputado diz que está “neutro, como sempre”.

Ajudinha A ex-governadora Rosinha Garotinho, hoje prefeita de Campos (RJ), sacou moeda de R$ 1 para pagar a refeição de Dilma ontem, no restaurante popular de Bangu. “Presidente, hoje vou pagar o seu almoço!”, disse.

Genética A petista afagou a jovem Clarissa Garotinho (PR), herdeira do clã. “Ela disse que eu estava muito bonita e que sou uma mistura do meu pai com minha mãe”, conta a deputada estadual.

Bateu, levou Alvejado por Alckmin na TV, o ex-governador Luiz Antonio Fleury Filho, aliado de Paulo Skaf (PMDB), diz que o tucano “fala bobagem”. “Ele está mais preocupado comigo do que com nosso candidato”.

Famoso quem? O petista Alexandre Padilha deu munição a quem o chama de anônimo. Em seu programa, apareceu em estação lotada do metrô sem que nenhum passageiro parasse para ouvir o que estava dizendo.


TIROTEIO

“Júlio Delgado pediu minha cassação por um voo. Agora podia explicar por que seu partido usava um avião de empresas fantasmas.”

DO DEPUTADO ANDRÉ VARGAS (ex-PT-PR), que voou em avião emprestado por doleiro, sobre Júlio Delgado (PSB-MG), que o investigou no Conselho de Ética.


CONTRAPONTO

Socialismo light

No final do debate da Band, Maurício Rands, o ex-deputado do PT que hoje coordena o programa de governo presidencial do PSB, esbarrou com a candidata Luciana Genro (PSOL), também ex-petista.

—Sexta-feira apresentamos nosso programa. Está muito bom, você vai gostar —provocou.
—Gostar? Com autonomia do BC, tripé macroeconômico? Contra aborto e maconha? —devolveu a ex-deputada.
—Não vai ter isso, não… —desconversou Rands.
—Pode até não estar escrito, mas estará implícito! —esbravejou a candidata do PSOL.