Grandes doadores ajudam mais a oposição do que em 2010

Por Painel

Distribuição de Renda Os maiores doadores deste início de campanha estão ajudando mais a oposição do que em 2010. Primeiro da lista, o grupo JBS deu a mesma quantia, R$ 5 milhões, para Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB). Há quatro anos, repassou três vezes mais à petista que ao tucano José Serra: R$ 9 milhões contra R$ 3 milhões. Somando Ambev, OAS e Andrade Gutierrez, os quatro maiores doadores deste ano deram tratamento equilibrado a Dilma e Aécio. Em 2010, doaram ao PT o dobro do PSDB.

Não engoliu Em conversas com aliados nos últimos dias, Dilma manifestou muita irritação com a possibilidade de o TCU (Tribunal de Contas da União) determinar o bloqueio dos bens da presidente da Petrobras, Graça Foster.

Nuvens negras A presidente disse que a medida seria injustificada e pode provocar danos graves aos negócios da estatal. Ao menos um ministro que acompanha o caso avalia que a decisão tornaria insustentável a permanência de Foster no cargo.

Coisa rara Segundo levantamento do governo, o TCU só bloqueou bens em 122 dos mais de 300 mil processos que julgou desde 2001. Isso comprovaria a excepcionalidade da medida proposta pelo ministro José Jorge.

É pro Fantástico? Para evitar que as TVs fizessem leitura labial, Dilma escondeu a boca com um panfleto ao conversar com Lula ontem, em ato com centrais sindicais.

Modesto Do ex-presidente, referindo-se à própria eleição: “O futuro deste país começou em outubro de 2002”.

Excluído Alexandre Padilha, o candidato do PT ao governo paulista, não subiu ao palanque com os dois padrinhos. Sua assessoria alega que ele preferiu ficar na plateia com os trabalhadores.

Campo minado Eduardo Campos baixará amanhã em Garanhuns (PE), terra de Lula. Em 2010, o município deu 85% dos votos válidos a Dilma no segundo turno.

Passe no RH Quase dois meses após a adesão do PTB a Aécio, o Planalto deve enfim trocar a cúpula da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), controlada pelo partido. Os cargos devem cair no colo do Pros.

Tabelinha O PT começou a terceirizar os ataques a Paulo Skaf, candidato ao governo de São Paulo. O presidente da CUT, Vagner Freitas, chamou o peemedebista de “candidato dos patrões, ricos e poderosos” em seu blog.

Linha dura Geraldo Alckmin (PSDB) gravou para o horário eleitoral em visita a Brasília no início da semana. Com o Congresso ao fundo, defendeu o endurecimento de penas para menores.

Alves

Insone Famoso por trocar o dia pela noite, José Serra (PSDB) madrugou para fazer campanha ao Senado às 6h30, na porta de uma fábrica em São Paulo. “Hoje é um dia histórico!”, brincou Alckmin.

Baixa O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, exonerou o chefe de gabinete da Secretaria de Comunicação, José Jacinto de Amaral. Ele era responsável pelo contrato da Central 156, alvo de investigações na Câmara Municipal, no Tribunal de Contas e na Controladoria Geral do Município.

Versões Vereadores petistas ligam a saída às suspeitas de irregularidade no serviço. Amaral e seu ex-chefe, o secretário Nunzio Briguglio, sustentam que ele deixou o cargo por motivos pessoais.

Eu pago Líder nas pesquisas para o governo de Pernambuco, o empresário Armando Monteiro Neto (PTB) declarou à Justiça Eleitoral que já investiu R$ 3,6 milhões na própria campanha.


 

 

 

TIROTEIO

“É uma indecência eleitoral: depois de receber R$ 7 bi do BNDES para liquidar os pequenos frigoríficos, a Friboi doa R$ 5 mi a PT e PSDB.”

DA EX-DEPUTADA LUCIANA GENRO (PSOL), candidata à Presidência, sobre as doações da JBS às campanhas de Dilma Rousseff e Aécio Neves ao Planalto.


 

CONTRAPONTO

Atire primeiro, pergunte depois

Em 1986, José Serra concorreu à Assembleia Constituinte pelo PMDB com o número 74. Sem recursos, investiu pouco na gráfica que imprimiu seus santinhos. O trabalho foi malfeito, e o número 7 ficou parecendo 1.
Abertas as urnas, Serra soube que Tidei de Lima, candidato de Bauru (SP) que concorria com o número 14, teve votação expressiva na capital. Antes de saber se havia sido eleito, Serra foi tirar satisfações com o rival.

—Você pegou meus os votos! —bradou.

No fim das contas, de nada valeu a discussão. Os dois candidatos foram eleitos.