Com candidatura contestada, José Roberto Arruda agora se compara a JK

Por Painel

A última do Arruda Líder nas pesquisas em Brasília, José Roberto Arruda (PR) agora se compara ao presidente Juscelino Kubitschek. Ele afirma que já estaria eleito se não tivesse a candidatura questionada na Justiça: “Para assustar meu eleitor, o PT imita a UDN contra JK. Diz que se eu ganhar, não tomo posse, e se tomar posse, não governo”. Preso em 2010, o ex-governador foi condenado por improbidade após registrar a chapa. O Ministério Público sustenta que ele é ficha-suja e não pode concorrer.

Saia justa Arruda, que ainda responde a 12 ações penais pelo escândalo do mensalão do DEM, promete pedir voto para Aécio Neves na corrida presidencial. O tucano lançou o azarão Luiz Pitiman ao governo para não ter que subir em seu palanque.

SOS Agnelo O Ibope de ontem, que mostra Arruda com 32% e o governador Agnelo Queiroz com 17%, reforçou o sentimento no PT de que é preciso montar uma força-tarefa para evitar a derrota no Distrito Federal. A rejeição do petista já alcança os 46%. Apesar da prisão, a de Arruda é menor: 32%.

Disco arranhado A estratégia de se comparar a JK também foi usada pelo ex-presidente Lula no escândalo do mensalão petista. “Sabe lá o que esse homem passou durante seu mandato de presidente para ser reconhecido 50 anos depois”, dizia ele.

Presta atenção O vice-presidente Michel Temer dirá hoje a Paulo Skaf (PMDB) que ele não está em condições de desprezar os 25% das intenções de voto de Dilma Rousseff em São Paulo. Ele deve usar o novo Ibope, em que Skaf aparece com apenas 11%, para reforçar a tese.

Agora chega Um dirigente do PMDB paulista diz que o vídeo em que Skaf ironiza a chance de apoiar Dilma foi um “erro grave”: “Qualquer pessoa com mínima visão política sabia que seria desastroso. Isso não é questão de marketing, é questão de fidelidade política”.

Antes tarde O PT promete que a ministra Marta Suplicy (Cultura) fará sua estreia ao lado de Alexandre Padilha neste sábado, em caminhada na zona leste de São Paulo. A ex-prefeita faltou ao primeiro ato da campanha do aliado, há duas semanas.

Ouvido… Aliados dizem que Dilma fez uma opção por aproveitar a sabatina da Confederação Nacional da Indústria para defender a política econômica de seu governo. Com isso, ela deixou em segundo plano a tarefa de apontar rumos de um novo mandato, caso seja reeleita.

… de mercador Os petistas admitem que os grandes empresários não vão apoiar a presidente, mas acham que ela pode evitar o agravamento do pessimismo do setor.

Espionagem Assessores de Dilma e Aécio tomaram notas das falas dos rivais. Uma petista chegou a acompanhar o tucano até a garagem da sede da CNI.

Patente A campanha de Eduardo Campos acusa Aécio de copiar imagem ironizando a derrota do Brasil para a Alemanha. “Inflação 7 x PIB 1. Isso sim é vexame”, dizia peça do PSB postada há seis dias. Os tucanos publicaram uma semelhante ontem.

Que ano é hoje Em resposta ao site de Flávio Dino (PC do B) para arrecadar doações em outros Estados, o comitê de Lobão Filho (PMDB) promete lançar a campanha “Ajude o Maranhão a derrotar o comunismo”.

JG

Boleiro O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, convidou Zico e outros sete ex-jogadores que atuaram em seu país para um encontro na sexta, logo antes de se reunir com Dilma. O técnico Dunga também foi chamado.


TIROTEIO

“Só Campos mostra como mudar. O PSDB de Aécio e o PT de Dilma tiveram a chance nos últimos 20 anos e não fizeram o necessário.”

DO EX-DEPUTADO PEDRO VALADARES (PSB-SE), sobre os discursos dos três principais candidatos à Presidência nas sabatinas realizadas pela CNI ontem.


CONTRAPONTO

Leitura dinâmica

Na abertura da sabatina de Aécio Neves na Confederação Nacional da Indústria, Pedro Wongtschowsk, do grupo Ultra, relembrou que a entidade preparou uma série de estudos temáticos para os candidatos à Presidência.

—Aquela pilha ali, à sua direita —mostrou ao tucano, que deu risada diante do calhamaço.

—Tenho a expectativa de que o senhor leia isso no próximo fim de semana! —continuou o empresário.

Ao receber a palavra, Aécio brincou:

—Felizmente o presidente da CNI teve a capacidade de sintetizá-lo e me deu um resumo. Esse sim já discutimos!