Meta de programa mineiro não justificava aeroporto perto da fazenda de Aécio

Por Painel

Pouso forçado As metas do programa ProAero não justificavam o uso de verba pública para construir um aeroporto em Cláudio (MG), próximo à fazenda da família do tucano Aécio Neves. O plano do governo de Minas Gerais anunciava como objetivo reduzir a no máximo 80 quilômetros a distância de cada cidade do Estado para uma pista de pouso. Antes da obra, os municípios da região já eram atendidos por outros aeroportos em Divinópolis (MG) e Oliveira (MG), também contemplados no plano.

Veja bem O governo de Minas, comandado pelo aecista Alberto Pinto Coelho (PP), diz que a distância era “apenas uma das referências do programa e não o critério único ou definidor”. Segundo a administração, contava ainda “a característica específica de cada município e região”.

Experiência Provocação de um aliado de Eduardo Campos (PSB) sobre o aeroporto: “O que chama a atenção não é a construção na terra do tio-avô, é a displicência de ter deixado a chave na mão do parente…”

Programático Emidio de Souza, o presidente do PT paulista, brincou ontem com aliados em um evento dos metalúrgicos do ABC: “Descobrimos um trecho do programa de governo de Aécio para aviação: construir o terminal 3 no aeroporto de Cláudio”.

Virando o disco O mineiro reúne hoje integrantes de ONGs como Afro Reggae e Saúde Criança. Vai anunciar a criação de um grupo da campanha para procurar exemplos de ações do terceiro setor que possam se transformar em políticas públicas.

Sem… Com presença quase inexistente nas diretrizes de governo do PSB, a política externa brasileira terá destaque no programa preparado pela sigla. O texto fará críticas ao atual olhar do país sobre o Mercosul.

… diplomacia O tom crítico é mais próximo da visão de Campos, e não da opinião de Roberto Amaral, vice-presidente do PSB e referência na sigla sobre política externa.

Casa cheia O partido quer dar tratamento especial ao evento em que vai divulgar o texto. Está procurando um espaço maior que o mirrado auditório do comitê central, que comporta 117 pessoas.

190 Lançada pelos tucanos junto com o site da campanha de Geraldo Alckmin, a página “SP Contra o Crime” divulga um projeto de lei para endurecimento de penas de menores infratores.

No alvo Pesquisas de rivais do governador indicam que a mudança na legislação tem sido uma bandeira eficaz como antídoto ao desgaste causado pela alta em indicadores de crimes no Estado.

Isso pega? A aversão de Paulo Skaf (PMDB) a subir no palanque com Dilma Rousseff tem respaldo numérico: só 20% de seus eleitores avaliam o governo da petista como bom ou ótimo. O número é menor até que o de Alckmin, que tem 22% de apoiadores com boa imagem da presidente.

No bolso A Justiça Eleitoral determinou multa diária de R$ 10 mil ao Facebook a partir de quinta-feira, caso a empresa não informe quem pagou anúncios para a página de Alckmin na rede social.

Ordem do chefe A cobrança de Lula por engajamento da Prefeitura de São Paulo na campanha de Alexandre Padilha (PT) começou a dar resultado. Ontem, quatro secretários de Fernando Haddad acompanharam o candidato em corpo a corpo.

Adolar
Versátil Eduardo Suplicy (PT), candidato à reeleição ao Senado, ficou feliz por visitar Perus, zona norte paulistana. Do alto do palanque, contou ter encontrado parafusos para consertar sua privada.


TIROTEIO

 “O Brasil parou de crescer, inflação e juros estão nas alturas, mas Dilma quer falar de futebol. Parece candidata ao cargo de Dunga.”

DO DEPUTADO BETO ALBUQUERQUE (PSB-RS), líder da bancada na Câmara, sobre encontro recente da presidente Dilma Rousseff com jogadores de futebol.


CONTRAPONTO

Dormindo com o governador

Em entrevista a um programa matinal da rádio Paiquerê, do Paraná, o candidato ao governo Roberto Requião (PMDB) tentou fazer piada sobre o atual governador, Beto Richa (PSDB), que disputa a reeleição:

—Quero sugerir que entrevistem o Beto. Mas não a essa hora da manhã, porque a essa hora ele está dormindo.

Um dos locutores retrucou:

—Acho que isso é mal de governador, porque quando o sr. estava no governo seus assessores não deixavam!

—Mas você ia lá na residência oficial, dormia comigo e me entrevistava às 7h! —rebateu o peemedebista.