Comitês do PSB terão foto de Marina Silva ao lado de Alckmin

Por Painel

Cutucando a onça O PSB paulista preparou uma série de peças publicitárias em que a ex-senadora Marina Silva aparece sorridente ao lado do governador Geraldo Alckmin (PSDB). A montagem vai decorar os comitês que pedirão voto para o tucano e para o presidenciável Eduardo Campos. Marina era contrária à aliança e se recusa a fazer campanha pelo governador. Os três primeiros comitês da chapa “Edualdo” serão inaugurados hoje em Marília, Limeira e Araçatuba. No total, serão cerca de 40 no Estado.

Material de campanha produzido pelo PSB paulista com Marina e Alckmin lado a lado
Material de campanha produzido pelo PSB paulista com Marina e Alckmin lado a lado

Com vara curta Um dos prefeitos do PSB que organizam os comitês afirma não saber se Marina foi consultada sobre a montagem fotográfica. Questionado sobre a reação dela, disse: “Também estou curioso para saber…”

E o Aécio, ó… O material da chapa “Edualdo” também tem potencial para irritar Aécio Neves (PSDB). Na capa do jornalzinho que será distribuído nos comitês, Alckmin sorri ao lado da seguinte manchete: “Só Eduardo vence Dilma”.

E o Eduardo, ó… Por outro lado, o rosto de Campos sumiu do material de campanha de marineiros que se filiaram ao PSB com a ex-senadora. Nos cartazes de Reinaldo Mota, candidato a deputado estadual, só ela aparece.

Marinês 2.0 Ao inaugurar o comitê central da campanha, ontem de manhã, Marina arriscou a seguinte definição: “Será um polo estabilizador […] para realizar a agregação dispersiva”.

Mãos dadas O vice-presidente Michel Temer quer promover no fim de agosto o primeiro ato conjunto de Dilma Rousseff (PT) com o candidato do PMDB ao governo paulista, Paulo Skaf. Ele propôs aos petistas um comício em Jales, no noroeste do Estado.

Bombardeio A nova queda na popularidade de Fernando Haddad, detectada pelo Datafolha, reforçou a pressão do PT de São Paulo por mudanças na área de comunicação da prefeitura.

Da lua Petistas engajados na campanha de Dilma se irritaram com a decisão do prefeito de tirar uma semana de descanso. “Lula pede para o Haddad trabalhar mais e ele sai de férias. Em que mundo ele vive?”, reclama um dirigente da sigla.

Levantando… Uma consultoria americana contatou juristas brasileiros em busca de referências sobre Joaquim Barbosa. A firma presta serviços para uma ONG que planeja contratar o presidente do Supremo Tribunal Federal após sua aposentadoria.

… a ficha Os consultores perguntam a juízes, advogados e acadêmicos se Barbosa já se envolveu em casos de corrupção ou discriminação e se seu temperamento influenciou sua gestão no STF.

Mineral O ex-agente da ditadura militar Eudantes Rodrigues de Faria recusou as ofertas de água ao depor à Comissão da Verdade. Ex-funcionário do SNI (Serviço Nacional de Informações), só bebeu da própria garrafinha.

Memória A precaução indica que o araponga tem boa memória. Os militares costumavam dar injeções de pentotal, o chamado soro da verdade, em presos políticos. A droga era usada para induzir as vítimas a falar na tortura.

Pulando a cerca O presidente do PT-SP, Emidio de Souza, interrompeu discurso ontem para esperar que Eduardo Suplicy saltasse uma grade junto ao palanque, em São Bernardo. “Deixa o Suplicy acabar de pular a cerca que eu falo…”, brincou.

Adolar

A rigor Por sinal, Suplicy não tem dispensado o uniforme de senador ao pedir votos. Ele era o único de terno e gravata na caminhada com Alexandre Padilha (PT).

TIROTEIO

“Nenhum deputado ou parente próximo deveria ter centro social. Isso é compra de voto descarada. Deveria ser proibido por lei.”

DO DEPUTADO ESTADUAL MARCELO FREIXO (PSOL-RJ), sobre ação da Justiça Eleitoral que fechou centro ligado ao ex-jogador e deputado Bebeto (SDD-RJ).

CONTRAPONTO

É que me escapuliu…

O senador Lindberg Farias (PT-RJ) teve dificuldades, em sessão recente da Comissão de Assuntos Econômicos, para conciliar parlamentares que discutiam um empréstimo de US$ 280 milhões ao governo do Rio Grande do Sul.

Quando os ânimos se acirraram, o petista, candidato ao governo do Rio, tentou apartar:

—Pessoal, pessoal…

Percebendo o deslize no decoro parlamentar, o ex-líder estudantil se desculpou:

—Acho que já estou em clima de campanha. Pessoal, não. Eu quis dizer Vossas Excelências!