PT vai cobrar indicação de integrantes da CPI do cartel do metrô

Por Bruno Boghossian

(Atualização às 22h30)

O PT vai pedir que o presidente do Congresso, Renan Calheiros (PMDB-AL), formalize a indicação dos últimos integrantes da CPI mista que pretende investigar a formação de cartel em contratos dos metrôs de São Paulo e do Distrito Federal. A cobrança deve ser feita na próxima sessão do Congresso Nacional, prevista para quarta-feira (16).

Os nomes sugeridos pelo PSDB para a comissão foram enviados à direção do Senado depois do prazo. Nesse caso, cabe ao presidente do Congresso a indicação formal dos senadores do partido que integrarão a CPI. Sem esse ato, o grupo não pode começar a funcionar.

Petistas e demais integrantes da base aliada não pretendem iniciar os trabalhos da comissão imediatamente, mas querem que a composição do grupo esteja completa para que os trabalhos possam começar quando julgarem necessário.

A ideia é deixar a comissão “engatilhada” para contra-atacar a oposição neste período eleitoral. Os cartéis citados no requerimento da CPI atingem governos do PSDB em São Paulo e do DEM no Distrito Federal. Petistas também acreditam que o caso arranha a imagem do candidato a vice na chapa de Aécio Neves (PSDB) ao Palácio do Planalto, Aloysio Nunes Ferreira (PSDB) —cujo nome chegou a ser citado pelo delator do caso, mas excluído quando o caso chegou ao Supremo Tribunal Federal.

O PSDB sugeriu a Renan a indicação dos senadores Cyro Miranda (GO), Cícero Lucena (PB), Lucia Vânia (GO) e Flexa Ribeiro (PA).

Os governistas já avisaram a Renan que cobrarão a indicação dos senadores de oposição para a CPI na próxima sessão do Congresso Nacional.