Lula dá bronca em Haddad e manda prefeito sair às ruas

Por Painel

Levanta-te e anda Irritado com o mau desempenho de Fernando Haddad nas pesquisas, o ex-presidente Lula convocou o pupilo para uma dura conversa na última segunda-feira. Relatou queixas de aliados, disse que o prefeito de São Paulo não pode ficar trancado no gabinete e cobrou ações para romper a imagem de paralisia diante dos problemas da cidade. O temor de Lula é que a alta rejeição ao petista comprometa de vez a já encrencada campanha de Alexandre Padilha ao governo do Estado.

Fora do ar Uma das reclamações mais constantes de aliados é que Haddad faz poucas ações de rua e recusa convites para agendas à noite e nos fins de semana. Ele costuma responder que precisa se dedicar à família.

Nem as boas Segundo petistas, o prefeito tem perdido até as oportunidades de capitalizar realizações de seu governo. Ele não inaugurou nenhuma das 26 novas creches do município, diz um vereador do partido.

Negação Auxiliares próximos a Haddad dizem que ele está “se convencendo” de que é preciso aceitar as críticas e mudar o estilo para sair das cordas. Apenas 17% dos paulistanos aprovam o governo, segundo o Datafolha.

Às armas No almoço de ontem, Lula pediu a 12 prefeitos petistas que mobilizem todas as suas tropas para inflar o primeiro ato de Padilha, na próxima sexta-feira.

Não volta Petistas ligados a Marta Suplicy estão céticos quanto à sua permanência no Ministério da Cultura caso Dilma Rousseff se reeleja. A avaliação é que ela se queimou ao defender a tese do “Volta, Lula” e será convidada a retornar ao Senado.

Adolar

Fininho De dieta, Paulo Maluf (PP-SP) perdeu 8 kg nas últimas semanas. Dono de uma famosa adega, ele jura que cortou até o vinho. Na terça, abriu exceção durante o jogo do Brasil e se empanturrou de esfirra e pipoca.

Água benta Eduardo Campos (PSB) faz uma pausa na campanha amanhã para batizar o filho Miguel, de cinco meses, no Recife.

Polivalente Presidente da Câmara e candidato ao governo do Rio Grande do Norte, Henrique Alves (PMDB) replicou ontem, no Twitter, uma foto de Campos e a agenda do presidenciável em seu Estado. Oficialmente, o peemedebista apoia Dilma.

Bisturi de ouro Robert Rey (PSC-SC), o “Dr. Hollywood”, declarou à Justiça Eleitoral um patrimônio de R$ 16,9 milhões: um apartamento de R$ 400 mil no Brasil, uma casa de R$ 12 milhões nos “USA” e R$ 4,5 milhões em contas bancárias.

Graça O patrimônio do pastor Marco Feliciano (PSC-SP) registrado na Justiça Eleitoral dobrou desde 2010. Neste ano, ele declarou bens no valor de R$ 1,3 milhão —incluindo R$ 625 mil em dinheiro ou aplicações bancárias.

Franciscano Terceiro colocado na disputa pela prefeitura paulistana em 2012, o ex-deputado Celso Russomanno (PRB) tentará voltar à Câmara com uma campanha modesta: estimou seu teto de gastos em R$ 6.000.

Muito O empresário Luis Felipe Mello, candidato pelo PSD à Assembleia do Rio Grande do Sul, disse à Justiça Eleitoral ter uma ilha em São Lourenço do Sul (RS). Valor declarado: R$ 3.269.741,40.

Pouco Galo Cego, servidor público que vai concorrer à Assembleia baiana pelo PSOL, disse ter, entre outros animais, um burro, de R$ 500.

Tal pai… Filho do famoso ex-ministro, o deputado Zeca Dirceu (PT-PR) declarou ter uma Brasília ano 1978, avaliada em R$ 1.700.


TIROTEIO

“São Paulo tem muitas coisas represadas: recursos para investimentos, expansão do metrô… só não temos água nas represas!”

DE PAULO SKAF, candidato do PMDB ao governo de São Paulo, sobre a crise de abastecimento de água e a redução no volume dos reservatórios do Estado.


CONTRAPONTO

Brava gente brasileira

Dissidentes do PDT anunciaram anteontem o apoio ao candidato do PT ao governo do Rio, Lindberg Farias. Animado, o sanitarista Eduardo Costa, secretário de Saúde do governo Leonel Brizola, sugeriu reviver um velho ritual de solenidades com a presença do líder trabalhista:

—Vamos cantar o hino da Independência!

Os petistas, é claro, pediram que a música fosse tocada na hora. O problema é que a maioria só sabia cantar o manjado refrão “Brava gente brasileira”. Os trechos mais obscuros da letra, como “Não temais ímpias falanges, que apresentam face hostil”, foram apenas balbuciados.